Cítara Mística

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cítara Mística
por Augusto dos Anjos


Cantas... E eu ouço etérea cavatina!

Há nos teus lábios - dois sangrentos círios -

A gêmea florescência de dois lírios

Entrelaçados numa unção divina.


Como o santo levita dos Martírios,

Rendo piedosa dúlia peregrina

À tua doce voz que me fascina,

- Harpa virgem brandindo mil delírios!


Quedo-me aos poucos, penseroso e pasmo,

E a Noite afeia corno num sarcasmo

E agora a sombra vesperal morreu...


Chegou a Noite... E para mim, meu anjo,

Teu canto agora é um salmodiar de arcanjo,

É a música de Deus que vem do Céu!