Casar, em relação ao homem e à mulher

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Casar, em relação ao homem e à mulher
por Adélia Fonseca
Poema publicado originalmente na edição 348 de Semana Ilustrada, de 11 de agosto de 1867. Parte do diálogo de Muniz Barreto com Adélia Fonseca.

Casar — é a união santificada,
De duas almas n’uma só vontade;
E’ um laço que applaude a sociedade:
Uma prisão por Deus abençoada.

Casar — é ter, na vida afortunada,
Captiveiro melhor que a liberdade:
E’, de remorso isempta a humanidade
Entregar-se ao prazer de ser amada.

Casar — é pensamento concebido
No melhor dos momentos do Senhor.
E por todas as lingoas traduzido.

Casar — é um poema encantador,
Que mais enleva quanto mais é lido;
Que em todas as estrophes diz: amor!


29 de Julho de 1867.