Clamor supremo (grafia original)

Wikisource, a biblioteca livre

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Clamor supremo
por Cruz e Sousa
Poema agrupado posteriormente e publicado em Ultimos Sonetos (1905).
Texto com ortografia atualizada disponível em Clamor supremo (grafia atualizada).



Vem commigo por estas cordilheiras!
Põe teu manto e bordão e vem commigo,
Atravéssa as montanhas sobranceiras
E nada temas do mortal Perigo!

       5Sigamos para as guerras condoreiras!
Vem, resoluto, que eu irei comtigo.
D'entre as aguias e as chammas feiticeiras,
Só tenho a Natureza por abrigo.


Rasga floréstas, bébe o sangue todo
       10Da Terra e transfigura em astros lodo,
O proprio lodo tórna mais fecundo.

Basta trazer um coração perfeito,
Alma de eleito, Sentimento eleito
Para abalar de lado a lado o mundo!