Co estes ventos d'agora

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Trova sua que mandou a luys da silveyra que partia de lixboa ao çerco de tanjer.

Co estes ventos d'agora
perigoso he naveguar,
que sse mudam cada ora
e quem vay de foz em fora,
nunca mais poode tornar.
O navyo penda banda,
a rrezam nam he houvida,
a vontade tudo manda,
e quem ha d'andar, desanda;
quem tem alma, nam tem vyda.