Contos Populares Portuguezes/O coelho e o gato

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
XIII


O COELHO E O GATO

Eram uma vez um gato e um coelho que se combinaram pr’a ir passear. Ao depois chegaram á beira do mato e disse o gato para o coelho se queria passear o mato; pegaram e foram. Viram um pinheiro e disse o coelho: — «Ó gato, tens-te por muito forçante; vamos a ver qual de nós trepa primeiro acima d’este pinheiro.» — «Vamos lá.»

O gato chegou primeiro e o coelho foi com raiva e tirou-lhe metade do rabo; como elle lhe tirasse metade do rabo, o gato poz-se a chorar: — «Coelho, dá-me o meu rabo». — «Não te dou o rabo, só se me deres leite.»

Ao depois então chegaram a um lameiro e viram uma vaca e o gato disse: — «Vaca, dá-me leite para eu dar ao coelho para o coelho dar o meu rabo.» — «Dou-te leite se me deres herva.»

Elle foi acima e viu um bello lameiro d’herva e disse-lhe: — «Lameiro, dá-me herva para eu dar á vaca, para a vaca dar-me leite para eu dar ao coelho, para o coelho dar o meu rabo.» — «Dou-te herva, se me deres agua.»

O gato foi acima e viu uma presa: — «Presa, dá-me agua para eu dar ao lameiro, para o lameiro dar-me herva, para eu dar á vaca, para a vaca dar-me leite, para eu dar ao coelho, para o coelho dar o meu rabo.» — «Bastante te dou eu que bem esvaida estou, se tu me arranjares uma enchada para tapar os buracos.»

Foi o gato ter com um ferreiro: — «Ferreiro, faz-me uma enchada para eu dar á presa, para a presa dar a agua, para eu dar ao lameiro, para o lameiro dar a herva, para eu dar á vaca, para a vaca dar-me leite, para eu dar ao coelho, para o coelho dar o meu rabo.» — «Sim, faço-te a enchada, mas tu has de me arranjar uns sapatinhos que ando aqui descalço.»

O gato foi para cima e encontrou um sapateiro: — «Sapateiro, faz-me uns sapatos, para eu dar ao ferreiro, para o ferreiro fazer a enchada, para eu dar á presa, para a presa dar-me a agua, para eu dar ao lameiro, para o lameiro dar-me a herva, para eu dar á vaca, para a vaca dar-me o leite, para eu dar ao coelho, para o coelho dar o meu rabo.» — «Sim, faço-te os sapatinhos, se me arranjares dous ou tres alqueires de pão que estou a morrer com fome.»

Foi o gato ter com uns lavradores que andavam a malhar na eira e disse-lhes: — «Lavradores, daes-me milho para eu dar ao sapateiro, para o sapateiro fazer os sapatos, para eu dar ao ferreiro, para o ferreiro fazer a enchada, para eu dar á presa, para a presa dar-me a agua, para eu dar ao lameiro, para o lameiro dar-me a herva, para eu dar á vaca, para a vaca dar-me o leite, para eu dar ao coelho, para o coelho dar o meu rabo?»

Mas os lavradores atiraram com os malhos ao gato e ao coelho e mataram-nos todos dous.

(Foz do Douro.)