Da mia senhor que eu servi

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Da mia senhor que eu servi
por Dom Dinis


Da mia senhor que eu servi
sempr'e que mais ca mi amei,
veed', amigos, que tort'hei
que nunca tam gram torto[1] vi;
ca pero a sempre servi
grand'é o mal que mia senhor
mi quer, mais quero-lh'eu maior
 
Mal que posso; sei per gram bem
lhi querer mais c'a mim nem al,
e se aquest'é querer mal,
est'é o que a mim avem[2];
ca pero lhi quero tal bem
grand'é o mal que mia senhor
mi quer, mais quero-lh'eu maior
 
Mal que posso; se per servir
e pela mais ca mim amar,
se est'é mal, a meu cuidar
este mal nom poss'eu partir;
ca, pero que a fui servir,
grand'é o mal que mia senhor
mi quer, mais quero-lh'eu maior
   
Mal que poss' e, pero nozir
nom mi devia desamor,
c'al que no bem nom há melhor.

Notas[editar]

  1. Torto: injúria, dano, lesão. Vocábulo do século XIII.
  2. Do verbo avir, acontecer, suceder, cair em sorte a alguém.