Deus vos salve, senhor Dom Carlos

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dom Carlos de Montealbar
coletado por Sílvio Romero
Publicado em Cantos populares do Brasil. (Sergipe)

"Deus vos salve, senhor Dom Carlos;
O senhor que fazia lá?
—Me arrumando, senhora,
Para contigo brincar.

Quando estavam a brincar,
Um cavaleiro vêem passar;
Dom Carlos como ardiloso
Logo quis o degolar.

—"Não me mate o cavaleiro,
Qu'é do reino de meu pai.
"Cavaleiro, o que aqui viste
A meu pai não vai contar,
Qu'eu te darei ouro e prata
Quanto possas carregar.

—"Eu não quero ouro e prata
Que a senhora não mos dá;
Brinquedos que vi aqui
A meu rei irei contar.

"Cavaleiro, o que aqui viste
A meu pai não vai contar,
Qu'eu te darei minha sobrinha
Para contigo casar.

—"Não quero sua sobrinha
Que a senhora não ma dá;
Folguedos que vi aqui
A meu rei irei contar.
"Cavaleiro, o que aqui viste
A meu pai não vai contar.
Te darei o meu palacio
Com todo o meu cabedal,

—"Não quero o seu cabedal,
Que a senhora não mo dá,
Que isto que eu vou contar
Muito mais me ganhará.

—"Novas vos trago, senhor,
Novas eu vos quero dar;
Eu topei a Claraninha
Com Dom Carlos a brincar;
Da cintura para riba
Muitos beijos eu vi dar;
Da cintura para riba
Não vos posso mais contar.

—Si me contasses oculto,
Meu reino te havera dar,
Como contaste de público,

Mandarei-te degolar.
Vão-me buscar a Dom Carlos,
Depressa, não devagar;
Carregado bem de ferros
Que não possa me falar.

—Vão buscar meu tio bispo,
Qu'eu me quero confessar
Antes que chegue a hora
Que me venham degolar.

—"Deus vos salve, meu sobrinho,
Qu'em sua prisão está;
Por amor de Claraninha
Lá te vão a te matar;
Toda a vida eu te disse
Que tu deixasses de amar;
Claraninha era impedida,
Poderiam te matar.

—Saia-se daqui, meu tio,
Não me venha a enfadar;
Mais val eu morrer por ela
Do que deixa-la de amar.
Chiquitinho, Chiquitinho,
Que sempre me foi leal,
Vai dizer à CIaraninha
Que já me vão me matar;
Si meus olhos vir os dela
Minha alma se salvará.

—"Deus vos salve, Claraninha,
Que no seu estrado está;
Dom Carlos manda dizer
Que já vai se degolar.
"Criadas, minhas criadas,
Si quereis me acompanhar,
Eu já me vou com o cabelo
Faltando por entrançar.
Justiça, minha justiça,
Minha justiça real,
Por aquele que está ali
Minha vida eu irei dar.
Deus vos salve, senhor Dom Carlos,
Não se dê a desmaiar;
Si a minha alma se perder,
A sua se salvará.

—Conselheiros, conselheiros,
Que conselhos quereis dar:
Qu'eu mate senhor Dom Carlos,
Ou que os mandarei casar?

—O conselho que vos damos
É para os mandar casar,
E pegai este arengueiro
E mandai-o degolar.
"Arengueiro, embusteiro,
O que ganhaste em contar?

—"Ganhei a forca, senhora;
Dela vinde-me tirar.
"Si eu quisera, bem pudera,
Pois nas minhas mãos está;
Para te servir de emenda
Mandarei te degolar.