Diccionario Bibliographico Brazileiro/Affonso Celso de Assis Figueiredo, 1º

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Diccionario Bibliographico Brazileiro por Sacramento Blake
Affonso Celso de Assis Figueiredo, 1º


Affonso Celso de Assis Figueiredo, 1º — Nasceu na capital de Minas-Geraes a 21 de fevereiro de 1837 sendo seus paes João Antonio Affonso e dona Maria Magdalena de Figueiredo Affonso.

Formado em direito pela faculdade de S. Paulo em 1858, ainda estudante se dera ao exercicio da advocacia; exerceu o cargo de official de gabinete dos presidentes Diogo de Vasconcellos e Fernandes Torres; serviu em sua provincia, depois de formado, os cargos de secretario da policia, inspector da thesouraria provincial, procurador fiscal da thesouraria geral, e deputado provincial por diversas vezes; representou a provincia de Minas-Geraes na camara temporaria nas legislaturas 12a, 13a e 17a, sendo eleito e escolhido senador do Imperio no ultimo anno desta legislatura (1879); foi ministro e secretario de estado dos negocios da marinha no gabinete de 3 de agosto de 1866, e ministro da fazenda no gabinete de 5 de Janeiro de 1878, no qual administrou tambem, interinamente, a pasta do imperio; é do conselho da sua magestade o Imperador, e advogado na côrte.

A seus esforços deve a província, que representa, sua primeira empreza industrial e muitos melhoramentos.

Distinguido pela côrte de Hespanha com a grã-cruz da ordem do Izabel a Catholica, e com a grã-cruz da ordem do Leão Neerlandez, agradeceu sem aceitar taes honras; faz parte de diversas associações litterarias e beneficentes desde seu curso juridico; foi fundador do club da Reforma e principal redactor do orgão deste club:

A Reforma: orgão democratico. Rio de Janeiro, 1869 a 1879 — O 1º numero desta folha sahiu a 12 de maio d'aquelle anno, e o ultimo a 31 de janeiro deste. Antes disto, fundara e redigira:

O Progressista. Ouro-Preto, 1859 a 1863 — Á vinda do conselheiro Affonso Celso para a côrte em 1863, como deputado, passou esta empreza a outros.

Escreveu mais :

A esquadra e a opposição parlamentar. Rio de Janeiro, 1868, 92 pags. in-4.°

As finanças do Imperio. Rio de Janeiro, 1876 — Este volume se compõe de uma collecção de artigos, dados á estampa na Reforma.

As finanças da regeneração: estudo politico, offerecido aos mineiros. Rio de Janeiro, 1877.

A commissão brazileira incumbida da construcção do Independência perante o conselho de guerra. Rio de Janeiro, 1877.

Discurso pronunciado em sessão da câmara quatriennal de 18 de abril de 1879, pelo conselheiro.... ministro da fazenda. Rio de Janeiro, 1879. 35 pags. in-4.º

Discursos na sessão legislativa de 1879 — Rio de Janeiro, 1881, 923 pags. in-4.º

Reforma das faculdades de medicina: discursos proferidos no senado em diversas sessões de 1882, pelos conselheiros P. Leão Velloso, ministro ,do império e Affonso Celso de Assis Figueiredo. Rio de Janeiro, 1883.

Novissimo repertorio da reforma judiciaria. Rio de Janeiro, 1876 — Este livro foi publicado sob o pseudonymo de um magistrado e já teve segunda edição.

Reforma administrativa provincial e municipal: parecer e projectos do senador Affonso Celso. Rio de Janeiro, 1883 — E9 um volume de 300 pags. in-8°, em que o autor expõe estudos feitos sobre o assumpto na qualidade de membro de uma commissão nomeada pelo governo para este fim, perante a qual têm de ser apresentados esses estudos.

Ha do conselheiro Affonso Celso diversos relatorios, escriptos durante o tempo em que exercera os cargos, já mencionados, de ministre de estado, assim como diversos trabalhos do mesmo exercício, entre os quaes :

Reorganisação da contadoria de marinha: decreto n. 4217 de 20 de junho de 1868. Rio de Janeiro, 1868.

Reorganisação da secretaria de estado dos negocios da marinha: decreto n. 4174 de 6 de Novembro da 1868. Rio de Janeiro, 1868.

Confidencias e reservados expedidos pelo gabinete do ... conselheiro Dr. Affonso Celso de Assis Figueiredo (1866-1868) relativos à guerra do Paraguay — ineditos, 138 fls. não numeradas. Este volume foi presente á exposição de historia do Brazil de 1881. H a finalmente diversos escriptos seus em periódicos e revistas desde o Ensaio Philosophico, e Correio Paulistano dos quaes fôra collaborador.