Diccionario Bibliographico Brazileiro/Alexandre Rodrigues Ferreira

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Diccionario Bibliographico Brazileiro por Sacramento Blake
Alexandre Rodrigues Ferreira
Veja também: artigo na Wikipédia


Alexandre Rodrigues Ferreira - O Humboldt brazileiro, como era appellidado, nasceu na cidade da Bahia a 27 de abril de 1756, sendo seu pae Manoel Rodrigues Ferreira, e falleceu em Lisboa a 23 de abril de 1815.

Destinado por seus paes para o estado clerical, preparou-se para isto e tomou ordens menores em sua provincia, seguindo, com quatorze annos de idade, para Portugal, afim de maior instrucção recebér, para o exercicio das funcções ecclesiasticas. Ahi, mudando de resolução, matriculou-se no curso juridico da universidade de Coimbra em outubro de 1770; porém obrigado a suspender seus estudos por causa da reforma da universidade em 1771, depois da reforma, sentindo mais vocação para as sciencias naturaes, mátriculou-se no curso de philosophia, e o seguiu com applicação tal, que dous annos antes de o concluir era demonstrador de historia natural, e obteve no fim do mesmo anno o laurel do premio academico com o grau de doutor, e o offerecimento de uma cadeira na faculdade.

No empenho que tinha o governo de conhecer as riquezas, ainda em muito grande parte desconhecidas do Brazil, procurando um homem com as precisas habilitações para isto, foi o doutor Alexandre Ferreira o designado pela congregação da faculdade para essa honrosa commissão, em que gastou cerca de dez annos, percorrendo, estudando, e escrevendo sobre o que achava de notavel nos sertões desde o Pará até Mato Grosso, e fazendo destes logares diversas remessas á côrte, com grandes sacrificios pecuniarios, de productos naturaes, acompanhadas de minuciosas descripções que delles fazia.

Antes de sahir de Portugal para esta commissão, ocupou-se o doutor Alexandre Ferreira com o exame da mina de carvão de pedra de Buarcos, com a descripção dos productos naturaes do real museu da rua da Ajuda, com experiencias de physica e de chimica, determinadas pelo governo, com a publicação de escriptos importantes e a composição de outros que se perderam; e em seu regresso na cidade de Belem, capital do Pará, onde casou-se, serviu de vogal nas juntas de fazenda e dejustiça.

De volta a Portugal foi nomeado official da secretaria de estado dos negocios da marinha e dos dominios ultramarinos, em 1793; mas um anno depois passou deste logar para o de director do real gabinete de historia natural, jardim botanico e seus annexos; e mais tarde foi ainda nemeado por dona Maria I administrador das reaes quintas e deputado da junta do commercio, se occupando nas folgas de seus afazeres em aperfeiçoar e dar melhor ordem e redacção aos preciosos escripto; que levara do Brazil como fructo de suas investigações e estudos no novo continente americano, afim de dal-os á publicidade.

Tinha, porém, trazido d'ahi o germen da doença que, começando por uma profunda melancolia, deu-lhe cabo da existencia antes de dar ao prelo suas obras.

Alexandre Ferreira era cavalleiro da ordem de Christo,


Quanto a seus escriptos, constam e11es da Noticia dos escriptos do doutor Alexandre Rodrigues Ferrreira, fielmente extrahida do inventario de seus papeis que por ordem do Visconde de Santarem foram entregues a Felix de Avellar Brotero a 5 de julho de 1815, como papeis concernentes á sua viagem philosophica pelo Brazil, divididos os mesmos escriptos em tres classes: a primeira das obras pertencentes á mencionadá viagem; a segunda de obras diversas, e a ultima das que não continham as iniciaes do nome do antor. São:

I

- Prospecto da cidade de Santa Maria de Belem do Grão Pará. 52 pags. de fols.

- Miscellanea historica para servir de explicação ao prospecto da cidade do Pará. 1784, 77 fols.

- Estado presente da agricultura do Pará em 1784 - Foi apresentado a sua excellencia o senhor Martinho de Souza e Albuquerque, governador e capitão general do Estado.

- Noticia historica da ilha de Joannes ou Mararajó, escripta em 1783, 34 fols.

- Memoria sobre a marinha interior do Estado do Grão Pará. 1787. 170 pags. de fol. - Foi particularmente olferecida ao- ministro e secretario de estado dos negocio da marinha Martinho de Mello e Castro.

- Extracto do diario da viagem philosophica pelo estado do Grão Parà em 1787. 53 pags. de fol.

- Memoria sobre os engenhos de branquear o arroz no Estado do Parà. 10 pags. in-4.°

- Miscellania de observações philosophicas no Estado do Parà em 1784. 19 pag. in-8.º

- Diario da viagem philosophica pela capitania de S. Josè do Rio Negro com informação do estado presente dos estabelecimentos portuguezes na sobredita capitania. 140 pags. de fol.- Esta obra, de que deixou outra cópia, foi depois consideravelmente augmentada, formando um maBuscripto de 544 pags. de fol. - A.

- Participação geral do Rio Negro e seu territorio, extracto do diario da viagem philosophica pela dita capitania de 1775 a 1786. 226 pags. de fol.

- Diario do Rio Branco. 27 pags. in-4.º - Foi escripto em 1786.

- Tratado historico do Rio Branco. 58 pags. in-4º,1786.

- Relação circumstanciada do Rio Madeira e seu territorio desde a sua foz até a sua primeira cachoeira chamada de Santo Antonio, feita nos annos de 1787 a 1789. 101 pags. de fol.

- Supplemento ao diario do Rio Madeira. 16 pags, de fol.

- Supplemento á memoria dos rios de Mato-Grosso - 14 pags. in-4.º - Prospecto philosophico e politico da serra de S. Vicente e seus estabelecimentos. 1790. 44 pags. de fol.

- Enfermidadas endemicas da capitania de Mato Grosso. 110 pags. de fo1. - Esta obra me parece que é a que foi publicada ultimamente no Progresso Medico com o titulo de

- Memoria sobre as febres da capitania de Mato Grosso - Vem no tomo 3º, pags. 65, 91, 115 e seguintes.

- Viagem á gruta das Onças em 1790. 16 pags. de fol.- O conselheiro A. de M. V. de Drumond possuiu e offereceu ao instituto historico o manuscripto desta obra a 19 de Abril de 1848. « Dou apreço a esta viagem - diz o conselheiro Drumond - não só pelo interesse que ella inspira quando noticia esses prodigios da natureza que tanto abundam no Brazil, mas porque o seu autor (nome caro aos brazileiroa) modestamente conta nella de passagem um dos muitos soffrimentos, que durante sua peregrinação pelo interior do Pará e Mato Grosso teve em sua saude. » Sahiu impressa na revista do mesmo instituto, tomo 12º, pags. 87 e seguintes.

- Catalogo da verdadeira posição dos logares abaixo declarados pertencentes as capitanias do Parà e Mato Grosso. 12 pags. de fol.

- Noticia da voluntaria reducção de paz e amizade da feroz nação dos gentios Muras nos annos de 1785 e 1786. 105 pags. de fol. — Sahiram publicadas estas noticias, que contêm uma serie de documentos, na revista do instituto, tomo 36°; 1873, parte 1ª, pags 323 e seguintes.

- Memoria sobre os gentios Muras - (que voluntariamente desceram para as povoações dos rios Negro, Solimões, Amazonas e Madeira). 12 pags. de fol. 1787.

- Memoria sobre os gentios Uerequenas, que habitam nos rios Içana e Ixié (os quaes desaguam na margem da parte occidental superior do rio Negro). 11 pags. de fol.

- Memoria sobre os gentios Caripunas que habitam na margem occidental do Rio Yatapú, o qual desagua na margem oriental do rio Uatumâa. 1787. 4 pags. de fol.

- Memoria sobre os gentios Cambèbas que habitavam as margens e ilhas da parte superior do rio Solimões. 1787, 14 pags. de fol.

- Memoria sobre os gentios Yurupyxunas (os quaes se distinguem dos eutros em serem mascarados) 1787. 3 pags. de fol.

- Memoria sobre os gentios Mauhâs, habitadores do rio Cumary e seus confluentes. 1787. 3 pags. de fol. - Esta memoria, assim como muitas outras em que o autor faz descrípções de indios, ou de objectos de seu uso como a de mascaras, foi remettida ao real gabinete de historia natural com o competente desenho.

- Memoria sobre os gentios da nação Miranha, uma das mais populosas que habita a margem septentironal do rio Solimões, entre os dous rios Ipurá e Icá. 1788. 2 pags. de fol. - Memoria sobre os indios hespanhoes desertados da provincia de Santa Cruz de la Sierra. 1787. 6 pags. de fol.

- Memoria sobre os gentios Yuacurús. 1791. 12 pags. de fol.

- Memoria sobre uma das gentias da nação Catauixi, habitante do rio Purús. 1788. 4 pags. de fol.

- Memoria sobre os instrumentos de que usa o gentio para tomar tabaco Paricà. 1786. 3 pags. de fol.

- Memoria sobre a louça que fazem as indias do Grão-Parã. 1787. 2 pags.

- Memoria sobre as cuias que fazem as indias de Monte Alegre e Santarém. 1786. 7 pags. de fol.

- Memoria sobre as mascaras e farças que fazem para seus bailes os gentios Yurupyxunas. 1787. 15 pags. de fol.

- Memoria sobre as salvas de palhinha pintada que fazem as indias da villa de Santarém. 1786. 2 pags. de fol.

- Memoria sobre as mallocas dos gentio s Curutús, situados no rio Apaporis. 1787. 4 pags. de fol.

- Relação das cinco remessas dos productos naturaes do Pará, que remetteu a Lisboa. 5 pags. de fol.

- Mappa geral de todos os productos neturaes e industriaes que remetteu do rio Negro.

- Relação das oito remessas dos productos naturaes que remetteu do rio Negro a Lisboa. 160 pags. de fol. - Deixou outra cópia, talvez com mudanças, de 208 pags.

- Relação circumstanciada das amostras de ouro que remetteu para o gabinete de historia natural. 50 pags. de fol.

- Observações geraes e particulares sobre a classe dos mamaes, observados nos territorios dos tres rios Amazonas, Negro e Madeira. 1790. 387 pags. de fol.

- Relação dos animaes silvestres que habitam nas matas de todo o sertão do Grão-Parâ - Estão divididos em tres partes: primeira, dos que se apresentam nas mesas por melhores; segunda, dos que oa indios em geral e alguns brancos comem quando andam em diligencia pelo sertão; terceira doa que se não comem.

- Memoria sobre as tartarugas. 11 pags. de fol.

- Memoria sobre as tartarugas Yurarâ-retes. 1786. 9 pags. de fol.

- Memoria sobre a tartaruga Mata-mata. 3 paga. in-4.º

- Descripção da mesma tartaruga. 1784. 6 pags. in-4.º

- Memoria sobre o uso que dão ao peixe boi, sobre este peixe e outros objectos. 1786. 39 paga. de fol.

- Memoria sobre o peixe Pirarucú. 1787. 8 paga. de fol.

- Descripção do peixe Arananã. 1787, 2 pags. de fol.

- Relação das amostrás de algumas qualidades de madeiras das margens do rio Negro. 30 pags. de fol. 1788. - Diario sobre as observações feitas nas plantas, que se recolheram no rio Branco. 12 pags. de fol.

- Diario sobre as observações feitas nas plantas, que se recolheram no rio Madeira. 36 pags. de fol.

- Memoria sobre as palmeiras. 11 pags. de fol.

- Collecção das experiencias de tinturaria, que se fizeram nas viagem de expedição philosophica pelo rio Negro, com doze amostras de tinta em lã.

- Relação dos preparos necessarios à expedição philosophica que executou, os quaes pediu em 1786. 36 pags. de fol.

- Papeis avulsos de memorias e escriptos pertencentes á viagem, etc, 1840 pags, de fal. e 428 pags. in-4.º

II

- Oração latina por occazião dos annos do serenissimo senhor dom José, principe do Brazil, feita em 1779.

- Falla que fez para recitar no dia da posse do excellentissimo senhor general do Parà Martinho de Souza e Albuquerque e bispo dom frei Caetano Brandão.

- Falla que fez na noite de 19 de setembro de 1784 ao despedir-se do excellentissimo senhor Martinho de Souza e Albuquerque. 3 pags. de fol.

- Falla que fez na tarde de 2 de março de 1785 ao illustrissimo e excellentissimo senhor João Pereira Caldas, quando entrou a visital-o na villa de Barcellos. 4 pags. de fol.

- Falla que fez o mesmo no dia 4 de agosto de 1785, dia em que fazia annos. 4 pags. de fol.

- Propriedade e posse das terras do Cabo do Norte pela corôa de Portugal em 1792. 47 pags. de fol. - Foi publicada com o titulo:

- Propriedade e posse das terras do Cabo do Norte pela corôa de Portugal, deduzida dos annaes historicos do Estado do Maranhão, e documentos por onde se acham dispersas as suas prova. 1792 - Sahiu no tomo 3.º da Revista do instituto historico, pags. 389 a 421.

- Propriedade e posse de Portugal das terras cedidas aos francezes na margem boreal do rio Amazonas. 1802. 9 pags. de fol.

- Memoria ou parecer sobre a plantação dos olivaes nas terras que na villa de Coruche tinha Joaqtdm Rodrigues Botelho - Desta obra ha noticia no caderno das memorias particulares do doutor Alexandre Ferreira, do anno de 1783.

- Memoria sobre as matas de Portugal, dividida em tres partes e lida na academia real das sciencias no anno de 1780. 82 pags. in 4.º

- Abuso da Conchyliologia em Lisboa etc. 1781. 86 pags. in 4º - Foi tambem lida na academia real das sciencias.

- Descripção de uma planta desconhecida pelo cirurgião-mór do regimento de Alcantara. 41 pags. in 4º - Diz o autor da Noticia destes escriptos, que suppõe ser esta obra que assim vem annuuciada no inventario dos papeis do doutor Alexandre Ferreira, a me ma que uo aeu caderno de memorias particulares foi designada com o titulo de:

- Exame da planta medicinal, que como nova applica e vende o licenciado Antonio Francisco da Costa, cirurgião-mór do regimento de cavallaria de Alcantara - A primeira foi lida na academia real das sciencias.

- Observações dos effeitos que tem obrado as pílulas desenerassantes e de que era autor este mesmo cirurgião-mór do regimento de Alcantara - Este escripto. não vem assignado pelo doutor Alexandre Ferreira.

- Relação dos animaes quadrupedes, aves, peixes, vermes, amphibios, frutos etc. que se comem. 69 paga. de fol. - Esta obra se acha incompleta.

- Descripção do Raconete em 1795. 4 pags. de fol.

- Descripção do macaco Simia-mormon, 1801. 6 pags.

- Memorias para a historia particular da marinha portugueza, apanhadas da historia geral de reino e conquistas. 26 pags. de fol.- E' incompleta esta obra.

- Noticia em fórma de carta dos trabalhos que a classe philosophica da universidade de Coimbra tinha executado, etc. 20 pags. in-4.º

III

- Roteitro das viagens da cidade do Pará ate ás ultimas colonias dos dominios portuguezes em os rios Amazonas e Negro. 112 pags. de fol.

- Memoria de alguns successos do Pará. 20 pags. de fol.

- Noticia da fundação do convento de Nossa Senhora das Mercês da cidade de Santa Maria de Belém do Grão-Pará, extrahida do archivo do dito convento em 1784. 43 pags. de fol.

- Noticia dos mais terriveis contagios de bexigas, que têm havido no Estado do Pará do anno de 1720 em diante. 4 pags. de fol.

- Instrucções que regulam o methodo por que os directores das povoações de indies do Estado do Grão-Para se elevem conduzir no modo de fazer as sementeiras. 7 pags. de fol.

- Memoria sobre a lavoura do Macapà. 3 paga. de fol.

- Lembrança das fazendas de gado vaccum, que se acham estabelecidás nas costas do Amazonas. 5 paga. de fol.

- Individual noticia do Rio Branco. 6 pags. de fol.

- Diario da viagem feita no rio Dimti no anno de 1785. 4 pags. de fol.

- Noticia da nãção Joioama a que chamam hoje Iacaca. 2 pags. de fol.

- Roteiro da viagem de Mato Grosso. 3 pags. de fol. - Reflexões abreviadas dos principaes motivos que obstaram ao maior e desejado progresso da lavoura e commercio do Estado do Grão Pará. 14 pags. de fol.

- Breve instrucção sobre o methodo de recolher e transportar algumas producções, que se acham no sertão e costas do mar. 21 pags. in-4.°

- Supplemento sobre a guerra ordenada contra as nações de indios que infestam a capitania do Piauhy. 19 pags. de fol.

- Relação dos nomes das madeiras proprias para a construcção de embarcações, moveis e outros destinos, que se têm descoberto no Estado do Pará. 6 pags. de fol.

- Memoria sobre uma porção de cabo formado de casca do Guambecima. 10 pags, de fol.

- Observações sobre a cultura e fabrico do urucú. 5 pags. de fol.

- Instrucções para extrahir o anil. 3 pags. de fol.

- Relação de todos os passaros e bichos do Estado elo Grão-Pará que se remetteram às quintas reaes pelo excellentissimo senhor João Pereira Caldas. 1763 a 1779. 19 pags. de fol.

- Relação das madeiras do Estado elo Pará, de que foram amostras á secretaria de estado da marinha, remettidas pelo governador e capitão general João Pereira Caldas.

- Memoria sobre o anil do Pará e Rio Negro. 11 pags. de fol.

- Virtudes, preparação e uso da raiz de caninana nas enfermidades venereas, tanto recentes, como chronicas. 4 pags. de fol.

- Memoria sobre o alicorne do mar, 10 pags. in-4.º

- Memoria a respeito dos Muharas e algumas coisas mais a outro fim. 24 pags. de fol.

- Nota sobre a linha recta, mandada tirar desde a foz do rio Jaurú ate o de Sarare, segundo o art. 10 do tratado de limites. 4 pags. de fol.

- Memoria sobre o lenho de quassia, extrahida das dissertações de Linnêo. 23 pags. in-4.º

- Descripçtio sobre a cultura do canhamo, sua colheita, maceração na agua até se pôr no estado de ser gramado, ripado, e assedado. 15 pags. de fol.

- Nomes vulgares de algumas plantas do Rio de Janeiro, reduzidas aos triviaes do systema de Linnêo e da flora fluminense. 26 pags. de fol. - Incompleto.

- Directorio que Sua Magestade lnanda observar no seu real jardim botanico, museu, laboratorio chimico, casa de desenho, etc. 10 pags. de fol.

O conselheiro Manoel Maria da Costa e Silva, encarregado pela academia real das sciencias de examinar e ordenar os trabalhos concernentes á viagem do doutor Alexandre Ferreira, cujos manuscriptos se achavam no archivo do real jardim botanico, dos papeis e livros ali designados, como peças desta viagem achou vinte e dous maços e seis volumes de desenhos e plantas, e mais um maço, contendo só desenhos e plantas. Os vinte e dous maços elle reduziu a oito, sendo:

1.º Parte descriptiva do Pará.
2.º Dita do rio Negro com seus respectivos appendices.
3.º Dita do rio Branco.
4.° Dita do rio Madeira.
5.° Dita de Mato Grosso.
6.° Memorias diversas sobre gentios.
7.° Memorias diversas de zoologia.
8.º Memorias e apontamentos sobre objectos botanicos.

« A publicação dos trabalhos do doutor Alexandre, - diz o conselheiro Costa e Silva nesta occasião - por todos os lados por onde os queiramos considerar, é do maior interesse scientifico, e para o Imperio do Brazil, ainda a este une outros muito importantes, economica e politicamente considerados. ».

Além do que ficou mencionado na relação já vista escreveu o doutor Alexandre Rodrigues Ferreira, e consta do catalogo da bibliotheca nacional da côrte o seguinte :

- Memoria sobre o Oyapok - que foi publicada pelo instituto historico em 1843, a qual foi annexa á carta geographica da costa do norte do Brazil, de que foram enviados ao mesmo instituto, a pedido seu, quinhentos exemplares por ordem do ministro da guerra, o conselheiro José Clemente Pereira.

- Viagem á gruta do Inferno.-2 fl. Manuscripto que fez parte da exposição de historia patria de 1881.

- Descripção da gruta do Inferno no morro da nova Coimbra sobre o Paraguay pelo doutor Alexandre Rodrigues Ferreira, encarregado por sua magestade fidelissima da expedição philosophica e natural nas capitanias do Pará, Mato Grosso e Cuyabá. Anno de 1781, 4fls.- Cópia contemporanea. Sahiu na revista mencionada, tomo 4°, 1842, e tambem no Ostensor Brazileiro, tomo 1°, 1845-1846. -Idem.

- Grão-Pará. Confluentes do Amazonas pela su margem boreal, cortando da foz do Araguary para cima. 8 fls. sem numeração - Idem.

- Rio Guaporé. 5 fls. sem numeração - Idem.

- Memorias para em seus logares se inseirem, quando se ordenar o Tit. das Antiguidades do rio Madeira. 13 fls.- Idem.

- Descripção de varios rios (Seny, Mamaré, Itunama e Baure). 2 fls.- Idem.-

- Mappa de todos os moradores, brancos, indios e pretos escravos, existentes na villa capital de Barcellos em 31 de outubro de 1786. Original de 4 fls. - Idem.

- População do povo de Albuquerque aos 17 de abril de 1791. Original escripto pelo auctor - Idem. - Inventario geral e particular de todos os productos naturaes e artificiaes, livros, intrumentos, utensis e moveis pertencentes ao real gabinete de historia natural, jardim botanico e suas casas annexas, como são: gabinete da biblioteca, casa de desenho, dita do laboratorio, dita das preparações e armazem de reserva, etc. - Original com a assignatura do autor na folha do rosto e no fim, de 113 fls. Nesta obra se encontram noticias circumstancíadas de varias productos naturaes e artificíaes do Brazil e sobretudo do Parà, e de todos os objectos que possuia em 1794 o real museu da Ajuda em Lisbôa.

- Memoria sobre os jacarès do Estado do Grão-Parà - Original.

- Memoria sobre as cascas de paus que se applicam para curtir couros - Idem.

- Memoria sobre o isqueiro ou caixa de guardar a isca para o fogo, a qual foi remettida no caixão n. 7 da primeira remessa do Rio Negro, 1786 - Idem.

- Memoria sobre as salinas do Cunha, contendo noticia das minas de sal do Jaurú - Idem.

Alguns àestes escriptos deixaram de vir mencionados na relação dada, ou por serem deslocados da collecção, ou por virem comprehendidos talvez no grosso volume de Papeis avulsos, de memorias, escriptos, etc., constante de 1.840 folhas, e de mais 428 paginas in-4.º

Ha algumas cartas e planhs levantadas pelo doutor A. Rodrigues Ferreira, cemo :

- Porção do Rio Negro e Amazonas entre as duas villas de Barcellos e Obidos, segundo a antiga carta do Estado - Foi exhibido o autographo na exposição de historia patria por dona Antonia R. de Carvalho.