Encarecimento dos rigores de Anarda

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Encarecimento dos rigores de Anarda
por Manuel Botelho de Oliveira


Se meu peito padece,
O rochedo mais duro se enternece;
Se afino o sentimento,
O tronco se lastima do tormento;
Se acaso choro, e canto,
A fera se entristece do meu pranto;

Porém nunca estas dores
Abrandam, doce Anarda, teus rigores.
Oh condição de um peito!
Oh desigual efeito!
Que não possa abrandar ũa alma austera
O que abranda ao rochedo, ao tronco, à fera!