Epigrama de Stalin

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Epigrama de Stalin
por Osip Mandelstam
Este poema anti-stalinista levou à prisão do autor em 1934.


Mandelstam Stalin Epigram-c.jpg

<poem> Nós vivemos, mas não sentimos a terra com os pés Dez passos andando e não podemos ouvir,

E quando há dois suficientes para metade de um diálogo Eles se lembram do alpinista do Kremlin.

Seus dedos gordos são escorregadios como lesmas, E suas palavras são absolutos, como medidas de merceiros.

Suas antenas de barata estão rindo, E sua bota nova brilha.

E ao redor dele a turba de chefes de pescoço curto - Ele brinca com os serviços de meio-homem.

Quem gorjeia, mia ou geme, Ele sozinho empurra e pica.

Ele esmaga-os como ferraduras, com decreto após decreto Na virilha, na testa, no rosto, ou no olho.

Quando há uma execução, há tratamento especial, E o peito ossétio se infla.

Novembro de 1933
Heckert GNU white.svg Este trabalho foi publicado nos termos da GNU Free Documentation License.