Estranho mal e estranho pesar

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estranho mal e estranho pesar
por João Mendes de Briteiros


Estranho mal e estranho pesar
é hoje o meu de quantos outros son
no mundo ja, pois á mia senhor non
praz que eu moira, mais quer que assí
haj'a viver a gran pesar de min.
E por aquesto, assí Deus me perdón,
muito m'é grave de viver e non
posso viver se est'hei a passar.

E, por én, sempre todo m'estranhar
devi'aquesto con mui gran razón,
pois as mias coitas o meu coraçón
sofrer non pode, mais sei que, des i,
tanto sofresse com'eu sofr'aquí.
Hei a viver sen grad'e, des entón,
viv'en pesar: por én meu coraçón
non pode ja tanto mal endurar.