Extase budhico

Wikisource, a biblioteca livre

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Extase budhico
por Cruz e Sousa
Poema agrupado posteriormente e publicado em Ultimos Sonetos (1905).
Texto com ortografia atualizada disponível em Êxtase búdico.



Abre-me os braços, Solidão profunda,
Reverencia do céo, solemnidade
Dos astros, tenebrosa magestade,
Ó planetaria communhão fecunda!

       5Óleo da noite sacrosanto, inunda
Todo o meu ser, dá-me essa castidade,
As azues florescencias da saudade,
Graça das Graças immortaes oriunda!


As estrellas captivas no teu seio
       10Dão-me um tocante e fugitivo enleio,
Emballam-me na luz consoladôra!

Abre-me os braços, Solidão radiante,
Funda, phenomenal e soluçante,
Larga e budhica Noite redemptôra!