Fabulas de Esopo/O Milhano e sua Mãe

Wikisource, a biblioteca livre
< Fabulas de Esopo
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
O Milhano e sua Mãe


FABULA LII.


O Milhano e sua Mãe.

Estando o Milhano enfermo, e receando a morte que via já chegada, rogou de proposito a sua Mãe que fizesse por sua saude romarias aos Santos. Respondeo ella: De boa vontade, filho, as fizera; mas temo que não te prestem; porque como gastaste a vida toda em males, e sempre com teu esterco çujaste os templos dos Santos, receio que não me queirão ouvir, ainda que os rogue por tua saude.

MORALIDADE.

Bem está de entender que significa este Milhano os homens, que toda a vida são estragados, e guardão o arrependimento para a hora da morte. Tambem esta Fabula ensina quanto risco correm os que aggravão aos Santos e bons, e muitas vezes, porque permitte Justiça divina que ás vezes não sejão ouvidos, quando se querem valer delles.