Flirt

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Flirt
por Luís Delfino
Publicada em Rosas Negras.


Vem cheio dela: — deu-lhe o seu aroma,
Encostou-se ao seu peito; os brancos dentes
Mostrou, rindo com risos inocentes:
Ele o anel da cintura aperta, e a toma:

Em torno a sala o par rodando assoma;
Fundem os dois os hálitos ardentes;
Um freme ao olor das tranças rescendentes,
Outro frui ao sentir enfim que o doma...

Então lhe digo: — Louvo-lhe a atitude;
Tê-la em meu colo assim jamais eu pude:
Pode o primeiro, que chegou, e a quer...

Chora só, não responde, e não se exalta:
Pois logo o instinto, por salvar-lhe a falta,
Esconde numa lágrima a mulher...