Foliay, mininas

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Foliay, mininas
Vilancete publicado em Villancicos, qve se cantaram na Capella Real do Muito Alto, & muito Poderoſo Princepe D. Pedro Nosso Senhor Nas Matinas da Noite de Natal, em 1670 (como Villancico VII).


Estribillo.

Foliay, mininas,
E mais foliay
Ao Minino tenro,
Que jaz no Portal;
Foliay, foliay,
Hora anday, anday,
A ſua Mãy fermoſa,
E a ſeu bello Pay,
Aos Anjos, que cantão
Para o alegrar;
Foliay, foliay,
Hora anday, anday;
Cantigas mimoſas
Haveis de cantar,
Que ſuas doces magoas
Saibão temperar.
Foliay, foliay,
Ora anday, anday,
Ay, ay, ay,
Foliay co a minha Péla,
Que o Minino do Portal,
Naceo para Portugal,
E tambem para Caſtella.

Coplas.

Vinde mininas fermoſas,
Vereis o Paço Real,
Que fez de hum pobre Portal,
O Sol de Perlas, & Roſas.
Suas magoas amoroſas,
A vòs tocão temperar,
Que outrem ninguem ſoſſegar
Pode fazer clara, & bella,
Nem Portugal, nem Caſtella.

Foliay hoje Mininas,
Como fazeis pello Tejo,
Na qual Ribeira vos vejo
Colher as tenras boninas;
Eſpalhai ſuas cores finas
De joelhos no Portal,
Ao pè da Flor celeſtial,
Que pare, & fica Donzella,
Em Portugal, & em Caſtella.

Vinde cà para o Solſinho,
Novo Amor, porèm ardente,
E cada terra hum preſente
Vos mande ſeu regalinho;
Mande a Maya hum pucarinho,
Mande hũa touca Lisboa,
E mande, pois noite he boa,
Muita fruta de Padela,
Que he melhor, que a de Caſtella.

Venha a chuſma refinada
Por diante do Zagal,
Que pois nace em Portugal,
De Caſtella não quer nada;
A vióla temperada
Venha co a noſſa folia,
Ao Sol, que nos torna o dia,
E a ſua Mãy do Mar Eſtrella
De Portugal, & Caſtella.

Estribillo.

Foliay mininas,
E mais foliay.