Fostes, Vieira, engenho tão subido

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fostes, Vieira, engenho tão subido
por Manuel Botelho de Oliveira


À morte do reverendo Padre Antônio Vieira

Fostes, Vieira, engenho tão subido,
Tão singular, e tão avantajado,
Que nunca sereis mais de outro imitado,
Bem que sejais de todos aplaudido.

Nas sacras Escrituras embebido,
Qual Agostinho, fostes celebrado;
Ele de África assombro venerado,
Vós de Europa portento esclarecido.

Morrestes; porém não; que ao
Mundo atroa Vossa pena, que aplausos multiplica,
Com que de eterna vida vos coroa;

E quando imortalmente se publica,
Em cada rasgo seu a fama voa,
Em cada escrito seu ũa alma fica.