Genealogia Paulistana/I/Ao Leitor

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa
Genealogia Paulistana por Silva Leme
Ao Leitor


A vossa benevolência entregamos este trabalho genealógico, fruto de doze anos de pesquisas nos arquivos das diversas localidades de S. Paulo e em algumas de outros estados. Não foi ele inspirado na vaidade de ostentar os brasões de armas que provam a nobreza de nossos antepassados, e sim na necessidade que temos de guardar as tradições de família e satisfazer a curiosidade justificada, que nos leva a perguntar de onde viemos, a que nacionalidades embora remotamente nos filiamos pelos laços de sangue, e quais os feitos que enobreceram aos nossos antepassados, gravando seus nomes na história de nossa pátria?

Neste trabalho não nos limitamos a descrever somente as famílias que têm sua nobreza firmada em brasões; mas incluímos, como o fez Pedro Taques, muitas outras que, oriundas de troncos humildes, meros povoadores, se tornaram nobres pelos seus feitos e cooperação no engrandecimento de nossa terra; assim procedendo, tivemos em mira despertar os brios das gerações de hoje para que continuem, seguindo a senda trilhada pelos seus antepassados, na pratica desses atos de heroísmo e de abnegação pela causa pública, e assim consigam legar a seus filhos um nome glorioso; e, para que esta nobreza perpetue-se, procurem inocular no espírito de seus filhos as máximas da moral cristã por uma cuidadosa educação religiosa, que foi sempre o segredo da grandeza de alma de seus avós, em seguida envidem os esforços para enriquecer seu espírito com a cultura intelectual adaptada a sua vocação; coloquem diante deles os vultos venerandos de seus avós para que sirvam de modelos a serem imitados, e terão com certeza filhos fidalgos que firmarão a nobreza de suas famílias.

Por mais que desejássemos não conseguimos escrever a história juntamente com o desenvolvimento das famílias; outro tanto de tempo seria necessário para a consulta dos arquivos das câmaras municipais e bibliotecas, o que seria tarefa insuperável para um só homem; entretanto, damos no correr desta obra muito resumidamente o pouco que podemos colher nos inventários e testamentos.

Em relação à genealogia paulistana trasladamos conscienciosamente para aqui tudo quanto de interesse encontramos nos arquivos das igrejas e nos cartórios de órfãos e provedorias até o ano de 1800, e descemos até 1840 em relação a algumas famílias, como sejam: Camargos, Arrudas, Lemes e outras.

Examinando os documentos dos arquivos tivemos ocasião de verificar que Pedro Taques foi consciencioso na confecção de sua Nobiliarquia Paulistana; alguns erros e discrepâncias encontramos em sua obra, que são efeitos de informações errôneas por ele colhidas, na impossibilidade de consultar pessoalmente alguns desses arquivos: estes mesmos erros provavelmente encontrareis neste nosso trabalho, pois que, em relação as gerações de hoje, que ali vem descritas, nos guiamos por informações; entretanto, será fácil ao leitor corrigi-los na parte que lhe toca, ficando certo que é correta a ascendência de seus avós provada, como está, por documentos.

Escrevemos, alem da introdução, 52 títulos de famílias diversas que vieram na maior parte nos princípios da povoação de S. Vicente e S. Paulo, e poucas no fim do século 16.o e principio do 17.o, as quais vão distribuídas em 8 volumes de 550 paginas cada um.

Não podemos deixar em esquecimento o nome do nosso saudoso companheiro de lutas José de Almeida Prado; por espaço de 10 anos trabalhou em Nice, onde residia, compulsando vários documentos que obtinha do Brasil sobre genealogia paulistana; ajudado pelo inteligente velho Pedro de Mello Sousa e por seu tio o Cap. João de Almeida Prado, conseguiu organizar um valioso contingente sobre diversas famílias de S. Paulo, com o qual muito contribuiu para a publicação deste nosso trabalho. Faleceu em 1800 em S. Paulo.

Ao concluir cabe-nos o dever de agradecer aos senhores escrivães de órfãos e provedoria do estado de S. Paulo e ao de Curitiba, aos revd.mos. vigários das paróquias da diocese de S. Paulo, e ao da paróquia de Curitiba, a prontidão e boa vontade com que nos franquearam seus arquivos.

O autor.