He hum não querer mais que bem querer; (Camões) II

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
He hum não querer mais que bem querer; (Camões) II
por Florbela Espanca
Poema publicado em Charneca em Flor


Meu Amor, meu Amado, vê... repara:
Poisa os teus lindos olhos de oiro em mim,
- Dos meus beijos de amor Deus fez-me avara
Para nunca os contares até ao fim.

Meus olhos têm tons de pedra rara,
E só para teu bem que os tenho assim
-E as minhas mãos são fontes de água clara
A cantar sobre a sede dum jardim.

Sou triste como a folha ao abandono
Num parque solitário, pelo Outono,
Sobre um lago onde vogam nenúfares...

Deus fez-me atravessar o teu caminho...
- Que contas dás a Deus indo sozinho,
Passando junto a mim, sem me encontrares? -