Hino do estado da Paraíba

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Brasao paraiba.PNG Hino do Estado da Paraíba Bandeira da Paraíba.svg
Letra por Francisco Aurélio de Figueiredo e Melo
Melodia por Abdon Felinto Milanez
Hino do Estado da Paraíba
Estribilho
Salve, berço do heroísmo,
Paraíba, terra amada,
Via-láctea do civismo
Sob o céu do amor traçada!
1
No famoso diadema
Que da pátria a fronte aclara
Pode haver mais ampla gema:
Não há pérola mais rara!
2
Quando repelindo o assalto
Do estrangeiro, combatias,
Teu valor brilhou tão alto
Que uma estrela parecias!
3
Nesse embate destemido
Teu denodo foi modelo:
Qual rubi rubro incendido
Flamejaste em Cabedelo!
4
Depois, quando o Sul, instante,
Clamou por teu braço forte,
O teu gládio lampejante
Foi o diamante do norte!
5
Quando o brado dos escravos,
Fez acho em teu peito santo,
Raiou a esperança aos bravos,
Na esmeralda do teu manto.
6
Quando, enfim, a madrugada
De novembro nos deslumbra,
Como um sol a tua espada
Dardeja e espanca a penumbra!
7
De cada nação generosa,
De que deste o são exemplo,
Arde a lâmpada formosa,
Da república do templo.
8
Hoje um canto peregrino,
Podes erguer de ufania,
Podes chefiar num hino,
Teu colar de pedrarias.
9
Temos dos filhos que desvelas,
No peito couraça altiva.
E no seio das donzelas,
Gorgeios de patativa…
10
Tens um passado de glória,
Tens um presente sem jaça:
Do porvir canta a vitória
E, ao teu gesto a luz se faça!
Estribilho
Salve, berço do heroísmo,
Paraíba, terra amada,
Via-láctea do civismo
Sob o céu do amor traçada!