Hino do município de Agronômica

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hino do município de Agronômica
Letra por Bernardete Furlani Rosa e Felinto Vilmar Bork
Melodia por Eno Weiss e Lisete Weiss

Em silêncio brotou essa terra, com os índios, Imigrantes e Tropeiros.
Nomeada: Mosquito e Pastagem, a lembrança de nossos pioneiros.
A floresta cedeu sob o braço, onde os bravos mostraram-se na lida.
Foi da fé, do suor e cansaço, que brotou a cidade querida.

Refrão

Agronômica, meu berço amigo! Presença linda nesse vaie florido!
Agronômica, eu sou herdeiro! De um povo forte de espírito guerreiro!
Agronômica, Terra de encantos! Que a beleza e a cultura detém!
Agronômica, abençoada! Aqui se planta e se colhe para o bem!

Quando ao longe se ouvia o apito, o progresso chegando aos teus filhos.
A saudosa Maria Fumaça, integrando a cidade por trilhos.
A fagulha da indústria e comércio, motivou o progresso destemido.
Trouxe nova esperança e bravura, um futuro melhor e merecido.

Agronômica, meu berço amigo! Presença linda nesse vaie florido!
Agronômica, eu sou herdeiro! De um povo forte de espírito guerreiro!
Agronômica, Terra de encantos! Que a beleza e a cultura detém!
Agronômica, abençoada! Aqui se planta e se colhe para o bem!

Este rio de lembranças mui caras, que das águas riquezas produz.
Terra fértil, de belezas tão raras, que o mundo teu fruto seduz.
Hoje és esmeralda do Vale, vale verde que a teus olhos cresce.
Esmerado, o povo abraçado, olha o ouro que o sol amadurece.

Agronômica, meu berço amigo! Presença linda nesse vaie florido!
Agronômica, eu sou herdeiro! De um povo forte de espírito guerreiro!
Agronômica, Terra de encantos! Que a beleza e a cultura detém!
Agronômica, abençoada! Aqui se planta e se colhe para o bem!