Hino do município de Itanhém

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hino do município de Itanhém
Letra por Carlos Alberto Andrade
Melodia por Carlos Alberto Andrade
Oficializado pela Lei municipal nº 147/2014.

Levantai, ó montes do ribeiro da umburana
O excelso simplício chegou
Tambores machacális sob o sol do novo mundo
Erguem a mais fulgente estrela bela do Brasil

D’além-mar noutras plagas
No estandarte que deslumbra o teu pendão
D’além-mar noutras plagas
Exaltamos em triunfo o teu porvir

Do colosso imponente, teus rebentos, brava gente,
Salve, ó vila de água preta de Itanhém

Tangidos pela seca, nordestinos vêm
As águas, rebentos do chão
No milagre da poaia e nas minas que se escavam
Nas gemas dessas pedras exaltemos Salomão

D’além-mar noutras plagas
No estandarte que vislumbra o teu pendão
D’além-mar noutras plagas
Exaltamos em triunfo Itanhém

Do colosso imponente, teus rebentos, brava gente
Mesmo ausentes nunca irão te olvidar

O verde dessa mata, a fortuna, pedras ocas
Nas terras extremas do sul
Ó serras pirambóias, águas pretas e cascatas
Ferrugem, João Rezende, água fria, gameleira

D’além-mar noutras plagas
No estandarte que deslumbra o teu pendão
D’além-mar noutras plagas
Exaltamos em triunfo Itanhém

Do colosso imponente, teus rebentos, brava gente
Mesmo ausentes nunca irão te olvidar
Do colosso imponente, teus rebentos, brava gente
Mãe gentil, prefiro a morte junto a ti