Hino do município de Janaúba

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hino do município de Janaúba
Letra por Izadina Ladeia Batista de Oliveira
Melodia por Izadina Ladeia Batista de Oliveira
Hino oficializado pela lei municipal nº 828, de 18 de janeiro de 1999.



Teu áureo sol resplandecente no horizonte,
Que beija a ti e teus recôncavos distantes.
Tal como um pálio se estende plenamente,
Quer retratar a suavidade dos teus montes.

Teu vento sopra balançando os arvoredos,
Flores se agitam, dobram galhos e forragens...
O clima cálido aquecendo os teus ares,
Inspira o artista a pincelar tua paisagem.

Terra bendita, és mãe amada !
Em ti descansa minh’alma, meu coração,
Ó Janaúba, bela pluméria,
Eu ti enalteço neste hino de emoção.

O Gorutuba sinuoso na planície,
A restaurar o solo seco e arenoso,
Formando um lago espelhado e cristalino,
Reflete belo o teu luar mui majestoso !

Gorutubano, és modesto e destemido...
Mestiço ingênuo, és o símbolo primeiro,
De trajes simples e de mântica singela,
Plasmando o barro, fazes arte de oleiro.

Terra bendita, és mãe amada !
Em ti descansa minh’alma, meu coração,
Ó Janaúba, bela pluméria,
Eu ti enalteço neste hino de emoção.

De Gameleira a Janaúba, uma história,
Rica em folclore curioso e inocente,
Dança da Roxa, cantilenas e credinces,
São alegrias, orgulhando a tua gente !

Moça faceira, que "usa laço e veste chita",
No estandarte do Brasil, uma centelha !
Minas Gerais te acolhe forte no seu âmago...
És, no cenário do país brilhante estrela.

Terra bendita, és mãe amada !
Em ti descansa minh’alma, meu coração,
Ó Janaúba, bela pluméria,
Eu ti enalteço neste hino de emoção.
 
Foi nós primórdios dos teus dias, Janaúba,
Que aqui chegaram os "Barbosas", lavradores.
E como a plêiade dos vultos baluartes,
Deixaram o exemplo aos novos semeadores.

Foste gerada do amor do Pai Celeste,
Que ti conduz e faz de ti grande celeiro.
Seja sublime o teu povir, Torrão Fecundo,
Farol, que brilha no rincão norte-mineiro.

Terra bendita, és mãe amada !
Em ti descansa minh’alma, meu coração,
Ó Janaúba, bela pluméria,
Eu ti enalteço neste hino de emoção.