Hino do município de Passa Tempo

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hino do município de Passa Tempo
Letra por Ricardo José Amorim Gomes de Morais e Élcio Morais dos Anjos
Melodia por Ricardo José Amorim Gomes de Morais e Élcio Morais dos Anjos

Sob o manto azul das vertentes,
Refletido no belo Pará,
Eis que surge pujante e altaneira,
Passa Tempo, aconchego das Gerais.
Encrustrada entre lindas montanhas,
Dorme o sono dos justos em paz,
Vibra firme a têmpera cultura,
Canta garbosa os louros da Glória. (bis)

Ardente tocha da vida,
Exemplo de fé e esperança,
Passa Tempo, das velhinhas fiandeiras,
Cantai! Cantai! Cantai!

Pioneiros habitantes desta terra,
Os Carijós e os valentes Cataguases,
Do seu confronto com as Bandeiras só restaram,
Saudade imensa e o registro na história. (bis)

Ardente tocha da vida,
Exemplo de fé e esperança,
Passa Tempo, das velhinhas fiandeiras,
Cantai! Cantai! Cantai!

Na natureza o homem do campo,
Cultiva cana, milho, cafezais,
O gado rumina a lida,
Tudo se agita em doce harmonia. (bis)

Ardente tocha da vida,
Exemplo de fé e esperança,
Passa Tempo, das velhinhas fiandeiras,
Cantai! Cantai! Cantai!

Riqueza rara de indelével valor,
O granito, o arraiolo, o alazão,
Levam seu nome, sua arte, sua fama,
Para além da Estrada Real. (bis)

Ardente tocha da vida,
Exemplo de fé e esperança,
Passa Tempo, das velhinhas fiandeiras,
Cantai! Cantai! Cantai!

No coração do seu povo pulsa,
O sonho e o trabalho assaz,
Seu passado ufano revela,
Um futuro de ascensão e esplendor. (bis)

Ardente tocha da vida,
Exemplo de fé e esperança,
Passa Tempo, das velhinhas fiandeiras,
Cantai! Cantai! Cantai!