Hino do município de Porto Real do Colégio

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hino do município de Porto Real do Colégio
Letra por Edivaldo Donato
Melodia por Edivaldo Donato


Gloriosa cidade tão bela
Porto Real do Colégio,
Berço eterno dos filhos da terra
Que te amam e não te esquecem jamais.
Tua história queremos cantar
Com a ajuda dos tupinambás
Majestosa cidade querida
És celeiro, semente da vida.
Jesuítas e os bandeirantes
Aos índios se deram às mãos.
Entre às margens do rio São Francisco
Um colégio se ergueu neste chão
Para formar os seus filhos nativos
No saber e na religião.

Salve, salve, ó Porto Querido
Tão real do Colégio se fez;
Acolhendo D. Pedro II
Em teu seio materno uma vez...

Terra mãe que alimenta seus filhos
Com a riqueza que vem de desse chão,
Suas águas, seus campos e vales
São celeiros da pesca e do pão.
Teu cenário foi Deus quem criou,
Pôr do sol do mais belo explendor
E seus filhos teu nome engrandece
Pela arte que a terra oferece;
Teus folguedos e tradições
São herança de várias nações;
Teu passado de glória se faz
Tradição que vem dos nossos pais;
És cidade de grande progresso
És meu Porto Real do Colégio

Salve, salve, ó Porto Querido
Tão real do Colégio se fez;
Acolhendo D. Pedro II
Em teu seio materno uma vez...

Ó cidade de grande beleza,
De um povo que tem devoção,
Que venera como padroeira
A imaculada Conceição.
Tua igreja neste solo surgiu
Majestosa às margens do rio,
E o convento dos frades irmãos
Fez da terra um povo cristão.
Tuas palmeiras são belas demais,
Relembrando os tempos reais
De um povo que fez desta terra
Entre todas as cidades mais bela.
Ó pedaço dourado do chão
Da imaculada Conceição.