João Ferreira de Almeida 1819 (ortografia atualizada)/Lucas/I

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Evangelho segundo Lucas - Capítulo I
por João Ferreira de Almeida


  1. PORQUANTO muitos empreenderam pôr em ordem a relação das coisas, que entre nós tiveram sua inteira certeza,
  2. Como nos entregaram os mesmos, que desde o princípio as viram, e foram ministros da palavra;
  3. Pareceu-me também a mim bem, havendo-me desde o princípio já de tudo muito bem informado, escrevê-las por ordem a ti, ó excelentíssimo Teófilo;
  4. Para que conheças a certeza das coisas, de que já estás informado.
  5. Houve nos dias de Herodes, Rei de Judeia, um Sacerdote, por nome Zacarias, da ordem de Abias; e sua mulher das filhas de Arão, e era seu nome Isabel[1].
  6. E eram ambos justos diante de Deus, andando em todos os mandamentos e direitos do Senhor sem repreensão.
  7. E não tinham filhos, porquanto Isabel era estéril, e ambos eram já vindos em altos dias.
  8. E aconteceu, que administrando ele o Sacerdócio diante de Deus, em ordem de sua vez,
  9. Conforme ao costume Sacerdotal, lhe caiu em sorte entrar no Templo do Senhor, a oferecer o perfume.
  10. E toda a multidão do povo estava fora orando, à hora do perfume.
  11. E apareceu-lhe o Anjo do Senhor, estando da banda direita do altar do perfume.
  12. E turbou-se Zacarias vendo-o, e caiu temor sobre ele.
  13. Mas o Anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque tua oração foi ouvida, e tua mulher Isabel te parirá um filho, e chamarás seu nome João.
  14. E terás gozo e alegria, e muitos se alegrarão de seu nascimento.
  15. Porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem cidra, e será cheio do Espírito Santo, até desde o ventre de sua mãe.
  16. E a muitos dos filhos de Israel converterá ao Senhor seu Deus deles.
  17. E irã diante dele no espírito e virtude de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos; para preparar ao Senhor um povo bem apercebido.
  18. E disse Zacarias ao Anjo: em que conhecerei isto? pois eu já sou velho, e a minha mulher vinda em altos dias.
  19. E respondendo o Anjo, disse-lhe: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui mandado a falar-te, e a dar-te estas alegras novas.
  20. E eis aqui que te ficarás calado, e não poderás falar, até o dia em que estas coisas aconteçam, porquanto não creste as minhas palavras, as quais a seu tempo se cumprirão.
  21. E o povo estava esperando a Zacarias, e maravilhavam-se de que tanto tardava no Templo.
  22. E saindo ele, não lhes podia falar; e entenderam, que tinha visto alguma visão no Templo. E falava por acenos, e ficou mudo.
  23. E sucedeu que, cumpridos os dias de seu ministério, veio-se para sua casa.
  24. E depois daqueles dias concebeu sua mulher Isabel, e encobria-se por cinco meses, dizendo:
  25. Porque isto me fez o Senhor nos dias em que atentou, para tirar minha afronta entre os homens.
  26. E no sexto mês foi o Anjo Gabriel enviado de Deus a uma cidade de Galileia, chamada Nazaré;
  27. A uma virgem desposada com um varão, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria.
  28. E entrando o Anjo a ela, disse: Gozo hajas engraçada; o Senhor [é] contigo, bendita tu entre as mulheres.
  29. E vendo-o ela, turbou-se muito de suas palavras, e considerava que saudação seria esta.
  30. E disse-lhe o Anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus.
  31. E vês aqui conceberás no ventre, e parirás um filho, e chamarás seu nome Jesus.
  32. Este será grande, e será chamado Filho do Altíssimo; e dar-lhe-á o Senhor Deus o trono de Davi seu pai.
  33. E reinará na casa de Jacó eternamente, e de seu Reino não haverá fim.
  34. E disse Maria ao Anjo: como se fará isto? porquanto varão não conheço.
  35. E respondendo o Anjo, disse-lhe: o Espírito Santo virá sobre ti, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Pelo que também o santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.
  36. E vês aqui, Isabel tua prima também tem concebido um filho em sua velhice; e este é o sexto mês daquela que era chamada a estéril.
  37. Porque nenhuma coisa será a Deus impossível.
  38. Então disse Maria: eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo tua palavra. E o Anjo se partiu dela.
  39. E levantando-se Maria naqueles dias, foi-se apressadamente às montanhas, a uma cidade de Judá.
  40. E entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel.
  41. E aconteceu que, como Isabel ouviu a saudação de Maria, saltou a criança em seu ventre, e foi Isabel cheia do Espírito Santo.
  42. E exclamou com grande voz, e disse: Bendita tu entre as mulheres, e bendito o fruto de teu ventre.
  43. E de onde me vem isto a mim, que a mãe de meu Senhor a mim venha!
  44. Porque vês aqui, que em na voz de tua saudação chegando a meus ouvidos, saltou a criança de alegria em meu ventre.
  45. E bem-aventurada a que creu; pois se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas.
  46. E disse Maria: minha alma engrandece ao Senhor;
  47. E meu espírito se alegra em Deus meu Salvador.
  48. Porquanto atentou para a baixeza de sua serva; pois eis aqui desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada.
  49. Porque grandes coisas me fez o Poderoso, e santo é seu Nome.
  50. E sua misericórdia é de geração em geração, para com os que o temem.
  51. Com seu braço obrou valorosamente, e dissipou aos soberbos do pensamento de seu coração.
  52. Aos poderosos dos tronos tirou, e aos humildes levantou.
  53. Aos famintos encheu de bens, e aos ricos enviou vazios.
  54. Alçou a Israel seu servo, lembrando-se de sua misericórdia.
  55. Como falou a nossos pais, a Abraão, e à sua semente) para sempre.
  56. E ficou-se Maria com ela quase três meses: e tornou-se para sua casa.
  57. E a Isabel se lhe cumpriu o tempo de parir, e pariu um filho.
  58. E ouviram os circunvizinhos, e seus parentes, que tinha Deus usado de grande misericórdia com ela; e alegraram-se com ela.
  59. E aconteceu que ao oitavo dia vieram para circuncidarem ao menino; e o chamavam do nome de seu pai, Zacarias.
  60. E respondendo sua mãe, disse: não, senão João será chamado.
  61. E disseram-lhe: Ninguém há em tua parentela que deste nome se chame.
  62. E falaram por acenos a seu pai, como queria que lhe chamassem?
  63. E pedindo ele a taboinha de escrever, escreveu, dizendo: João é seu nome. E todos se maravilharam.
  64. E logo a boca se lhe abriu, e a língua se lhe soltou; e falava, louvando a Deus.
  65. E veio um temor sobre todos seus circunvizinhos; e em todas as montanhas de Judeia foram divulgadas todas estas coisas.
  66. E todos os que as ouviam, as punham em seus corações, dizendo: quem será ora este menino? E a mão do Senhor era com ele.
  67. E Zacarias seu pai foi cheio do Espírito Santo, e profetizou, dizendo:
  68. Bendito o Senhor Deus de Israel, porque visitou, e redimiu a seu povo;
  69. E nos levantou o corno da salvação na casa de Davi seu servo;
  70. Como falou por boca de seus santos Profetas, que desde o princípio do mundo houve;
  71. Que nos livraria de nossos inimigos, e da mão de todos os que nos aborrecem.
  72. Para fazer misericórdia a nossos pais, e se lembrar de seu santo concerto;
  73. E do juramento, que jurou a Abraão nosso pai que nos havia de dar;
  74. Que libertados da mão de nossos inimigos, o serviríamos sem temor,
  75. Em santidade e justiça diante dele, todos os dias de nossa vida.
  76. E tu, ó menino, Profeta do Altíssimo serás chamado; porque diante da face do Senhor hás de ir, a aparelhar seus caminhos;
  77. Para dar a seu povo conhecimento da salvação, em remissão de seus pecados;
  78. Pelas entranhas da misericórdia de nosso Deus, com que o Oriente do alto nos visitou;
  79. Para aparecer aos que assentados estão nas trevas, e em sobra de morte; para endereçar nossos pés pelo caminho da paz.
  80. E crescia o menino, e era confortado em Espírito. E esteve nos desertos até o dia em que se mostrou a Israel.

Notas[editar]

  1. Isabel — Originalmente em Almeida: Elisabeth