Lírio Astral

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lírio Astral
por Cruz e Sousa
Poema publicado em Faróis


Lírio astral, ó lírio branco
         Ó lírio astral,
No meu derradeiro arranco
         Sê cordial!

Perfuma de graça leve
         O meu final
Com o doce perfume breve,
         Ó lírio astral!

Dá-me esse óleo sacrossanto
         Toda a caudal
Do óleo casto do teu pranto,
         Ó lírio astral!

Traz-me o alivio dos alívios,
         Ó virginal,
Ó lírio dos lírios níveos,
         Ó Lírio astral!

Dentre as sonatas da lua
        Celestial,
Lírio, vem, Lírio, flutua,
         Ó Lírio astral!

Dos raios das noites de ouro,
        Do Roseiral,
Do constelado tesouro,
         Ó lírio astral!

Desprende o fino perfume
         Etereal
E vem do celeste fume,
         Ó lírio astral!

Da maviosa suavidade
         Do céu floral
Traz a meiga claridade,
         Ó lírio astral!

Que bendita e sempre pura
         E divinal
Seja-me a tua frescura,
         Ó lírio astral!

Que ela, enfim, me transfigure,
         Na hora fatal
E os meus sentidos apure,
         Ó lírio astral!

Que tudo que me é avaro
         De luz vital,
Nessa hora se tome claro,
         Ó lírio astral!

Que portas de astros, rasgadas
         Num céu lirial,
Eu veja desassombradas,
         Ó lírio astral!

Que eu possa, tranqüilo, vê-las,
         Limpo do mal,
Essas mil portas de estrelas
         Ó lírio astral!

E penetrar nelas, calmo,
         Na paz mortal,
Como um davídico salmo,
         O lírio astral!

Vento velho que soluça
         Meu Sonho ideal,
No Infinito se debruça,
         Ó lírio astral!

Por isso, lá, no Momento,
         Na hora fetal,
Perfuma esse velho vento
         Ó lírio astral!

Traz a graça do Infinito,
         Graça imortal,
Ao velho Sonho proscrito,
         Ó lírio astral!

Adoça-me o derradeiro
         Sonho feral
O lírio do astral Cruzeiro
         Ó lírio astral!

Se, o Lírio, ó doce Lírio
         De luz boreal
Na morte o meu claro círio,
         Ó lírio astral!

Perfuma, Lírio, perfume,
         Na hora glacial,
Meu Sonho de Sol, de Bruma,
         Ó lírio astral!

Que eu suba na tua essência
         Sacramental
Para a excelsa Transcendência,
         Ó lírio astral!

E lá, nas Messes divinas,
         Paire, eternal,
Nas Esferas cristalinas,
         Ó lírio astral!