Limites entre estados e municípios

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Limites entre estados e municípios
por Lima Barreto
Crônica publicada em Vida Urbana


Todos os dias os jornais trazem notícias de questões de limites entre Estados e agora já chega a vez dos municípios.

De norte a sul do país as há ou as houve. O Ceará, certa vez, quase engalfinhou-se com o Rio Grande do Norte; e o Paraná andou às turras com Santa Catarina por causa de ter­ras vizinhas e, em virtude disso houve mortes de sobra.

Parecia que isso tinha acabado, mas vejo que não. Há dias li a notícia que uma vasta comissão de sumidades se havia reunido, para assentar as bases de resolver as que exis­tem entre São Paulo e Minas Gerais. É possível ainda? Pois nós estamos num país, onde há "terras de ninguém", como é que as suas partes políticas ainda se disputam fragmentos de terrenos que não pertencem a cada uma delas, mas à totalidade da nação?

Mas não são só os Estados; os municípios também. O Distrito Federal tem uma questão de limites com o Estado do Rio de Janeiro; mas aí a coisa é mista.

Há contudo, melhor. No excelente O Estado,que se publica em Níterói, há um longo artigo, apaixonado, reclamando sobre questões de limites entre os municípios de Santa Maria Madalena e São Francisco de Paula.

Parecia que santos não deviam brigar, mas não é este o tom da carta, pois não é artigo como disse antes.

Faço um florilégio dela, para os leitores avaliarem o azedume da missiva.

Depois de citar leis, alvarás, decretos, etc., diz:

"Conformaram-se e viviam satisfeitos e tranquilos com o que pelo referido decreto passou a pertencer-lhes. Não se dava outro tanto com os franciscanos. Pertencendo a maior parte dos terrenos do município de São Francisco a uma só família, que não via com bons olhos Madalena, não perdia ocasião essa família de investir contra ela."

Leram. Já não é uma luta de municípios; é uma luta de partidos!

Não param aí os assaltos do município pelos vizinhos que lhe usurpam os direitos; mas que, confiante nos seus direitos, trate de reivindicá-los.

Campos, o poderoso Campos, também quer avançar nas suas terras. Temos aqui este pedacinho menos veemente:

"Sobre a velha questão de Madalena com Campos, acerca de seus limites, está em vias de ser solucionada pelo digno pre­sidente do Estado, a cujo estudo foram submetidos os res­pectivos documentos."

A continuarem as coisas assim, em breve, haverá questões de limites entre distritos ou circunscrições, bairros e ruas. O Brasil está bem unificado.

Careta, Rio, 6-12-1919.