Marmores (1895)/Ballada/Estella

Wikisource, a biblioteca livre
< Marmores (1895)‎ | Ballada
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ballada por Francisca Júlia
Estella
Poema publicado em Marmores (1895).
IV
Estella

Como dormes feliz, anjo adorado,
Nesse teu berço, assim... tu, cujos olhos
Nunca viram miserias nem abrolhos,
Mas vêm sómente o maternal cuidado.

O anjo da guarda está velando ao lado
Do teu berço, a sorrir... Os teus antolhos
São, por emquanto, os ondulantes folhos
Do teu bercinho de ébano lavrado.

Dorme, que emquanto o cherubim de vela,
Elle te envolve nessa etherea veste
Que usam no céo os cherubins, Estella;

Dorme; o teu somno cheio de fulgores
De certo eleva-te a um paiz celeste
Todo cheio de passaros e flores.