Mazurek Dabrowskiego

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mazurek Dąbrowskiego

Jeszcze Polska nie zginęła,
Kiedy my żyjemy.
Co nam obca przemoc wzięła,
Szablą odbierzemy.

Marsz, marsz, Dąbrowski,
Z ziemi włoskiej do Polski,
Za twoim przewodem
Złączym się z narodem.

Przejdziem Wisłę, przejdziem Wartę,
Będziem Polakami,
Dał nam przykład Bonaparte,
Jak zwyciężać mamy.

Marsz, marsz, Dąbrowski...

Jak Czarniecki do Poznania
Po szwedzkim zaborze,
Dla ojczyzny ratowania
Wrócim się przez morze.

Marsz, marsz, Dąbrowski...

Już tam ojciec do swej Basi
mówi zapłakany:
"Słuchaj jeno, pono nasi
Biją w tarabany."

Marsz, marsz, Dąbrowski...

Tradução

A Polônia não desaparecerá[1]
Enquanto nós vivermos.
O que a prepotência estrangeira nos tirou
com a espada reconquistaremos.

Marche, marche Dąbrowski,[2]
Das terras italianas para a Polônia,
Sob a tua liderança
Nos uniremos com a Nação.

Passaremos o Vístula, passaremos o Warta,
Seremos polacos.
Bonaparte deu-nos o exemplo
De como devemos vencer.

Marche, marche Dąbrowski...

Como Czarniecki[3] para Poznań,
Após a invasão sueca,
Para a salvação da Pátria
Voltaremos pelo mar.[4]

Marche, marche Dąbrowski...

O pai para a sua Bárbara[5]
Fala chorando:
"Ouça criança, são os nossos
Que batem nos tambores"

Marche, marche Dąbrowski...

Notas[editar]

  1. Com essa expressão ele queria dizer que a Polônia não era somente um País, mas também todos os Poloneses que viviam lá e que todos deviam ser respeitados como deviam.
  2. Um dos líderes das Legiões Polonesas na Italia, ele não é o autor desse hino.
  3. Um dos líderes da guerra contra a ocupação da Polônia pelos suecos.
  4. Depois da libertação da Polônia, Czarnecki estava lutando na Dinamarca.
  5. Nome popular na Polônia.