Memória sobre a ilha Terceira/IV/I

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

PARTE IV TOPOGRAFIA DA ILHA TERCEIRA

CAPÍTULO I Orografia da ilha Terceira A ilha Terceira, que fica a 38° 40’ de latitude N e 18° 04' de longitude O do meridiano de Lisboa, tem a configuração mais ou menos oval, sendo orientado o seu maior eixo, de ONO a ESE. Tem 35 quilómetros no seu maior comprimento, de leste a oeste, e 20 na sua maior largura, e 400,2 quilómetros quadrados,1 aproximadamente, de superfície. Os seus portos principais são o de Angra do Heroísmo, voltado a SE, o do Fanal, ao oeste do Monte Brasil, e o da Vila da Praia da Vitória, voltado a leste. As suas costas marítimas apresentam o desenvolvimento de 89 quilómetros de extensão, aproximadamente. O terreno, cuja constituição geológica já vimos na primeira parte do nosso trabalho, apresenta-se bastante acidentado e recortado em varias direções, por montanhas que, apesar de não serem de extraordinária elevação, tornam a superfície bastante desigual. As mais notáveis são: a da Ribeirinha, que se estende desde as Achadas até à Feteira, na direção, pouco mais ou menos, do norte a sul; a do Cume da Praia, desde a Ladeira do Cardoso até ao Pico das Cabras na Ribeira Seca; e a de Santiago, desde o Facho da Vila da Praia da Vitória até à Caldeira das Lajes. São também notáveis: a do Morião, que vai desde a Caldeira de Guilherme Moniz até à Fonte da Telha; a de Santa Bárbara, a mais alta da ilha; a Encumeada do Mato, ou Serra da Caldeira, acima da Pateira, e dirigida de leste para oeste, ficando sobranceira à grande Caldeira do Conde; e, finalmente, a Serra da Agualva.


0177

Os montes e picos principais são: o Monte Brasil, situado a oeste da baía da cidade, e formado por quatro picos distintos, sendo os principais o Facho, que é o mais alto, o das Cruzinhas e o do Zimbreiro; o Pico Gordo, situado entre a ponta do Queimado e o Raminho; o Pico do Miradouro, fronteiro à Caldeira da Agualva; o Pico de D. Joana, na Feteira; o dos Cornos e o das Contendas,2 na freguesia de S. Sebastião; o das Cabras, na Ribeira Seca, o do Capitão, no Porto Martins; o Pico Gualpanário, acima da Serra da Caldeira; o de Matias Simão; os Picos Gordos, ao noroeste do Gualpanário; o das Pedras, próximo da Feteira; o Pico Verde, onde está situada esta última povoação; o Pico da Cruz, ao norte da freguesia de S. Sebastião; o Pico Agudo, um pouco ao norte; o Pico da Serreta, etc.. As alturas, conhecidas, das montanhas e picos principais da ilha Terceira, são as que se encontram no quadro seguinte:3 Elevação Altura acima do nível do mar (metros) Serra de Santa Bárbara 1085 (1023) Pico do Norte4 1071 (807) Pico Agudo 833 (798) Lombada da Praia (ou Cume da Praia) 572 (550) Pico das Pedras 410 Pico da Serreta 338 (341) Pico Verde 321 Pico da Cruz5 222 (214) Monte Brasil (Pico do Facho) 173 (205) Pico das Contendas 152 (147) Pico do Capitão6 151 (150) As planícies mais extensas que se encontram são: a da Achada, compreendida entre a Serra da Ribeirinha e a do Cume da Praia; e a do Ramo Grande, entre esta e a Serra de Santiago. Os vales mais importantes, que são conhecidos pelos terceirenses pelo nome de «caldeiras», são: a de Santa Bárbara, que contém, aproximadamente, 2:904 ares de terreno, sendo parte coberto de mato, e o restante constituindo pastagens; a Caldeira de Guilherme Moniz, ou do Conde, ou simplesmente Caldeira, junta ao Pico do Gualpanário, com a forma circular, e rodeada por vários picos de pequena elevação, e que tem, proximamente, 3:484 ares de


0178

terreno, reduzido, em grande parte. a pastagens;7 a Caldeira da Agualva, quase com a mesma extensão; a das Lajes, cujo fundo se encontra povoado na extensão de 1:961 ares de terreno, e o resto reduzido a terra lavradia e matas; e, finalmente, a Caldeira do Monte Brasil, reduzida quase na sua totalidade a terreno lavradio, e medindo 290 ares, pouco mais ou menos.


0179


0180