Moção aprovada na vigília pela paz do dia 31 de dezembro de 1972

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tornar a paz possível
Moção aprovada na vigília pela paz na Capela do Rato, em Lisboa, no dia 31 de dezembro de 1972.


Considerando:

  1. A guerra injusta contra os povos de Angola, Moçambique e Guiné.
  2. Que o fim da guerra é manter os povos africanos numa situação de escravidão.
  3. Que esta guerra se integra na lógica do conceito de imperialismo.
  4. Que o povo português é também vítima deste processo de exploração e opressão, pois é o mesmo Governo que promove as guerras coloniais que explora, oprime e reprime os trabalhadores portugueses.
  5. A luta dos povos das colónias é uma luta justa.


1.º Repudiam vigorosamente a política do governo português de prosseguir uma guerra criminosa com a qual tenta aniquilar movimentos de libertação das colónias portuguesas nas quais morem, ficam feridos e incapacitados milhares de jovens portugueses.
2.º Denunciam igualmente a atitude de cumplicidade da hierarquia da Igreja Católica portuguesa face a esta guerra e aos problemas que ela põe ao povo português.
3.º Denunciam toda a repressão de que têm sido vítimas muitos trabalhadores e jovens portugueses por se manifestarem contra esta guerra criminosa assim como o esmagamento dos movimentos e organizações democráticas.
4.º Manifestam a sua solidariedade com os povos das colónias em luta pela sua libertação.
5.º Solidarizam-se com todos os portugueses que têm lutado e lutam consequentemente pela instauração de uma sociedade justa.
6.º Apelam veementemente para todas as pessoas que têm consciência ou sentem essa situação para se unirem num esforço consequente de luta contra a exploração e opressão exercida sobre o povo trabalhador.

ADENDA: Solidarizam-se com a luta dos católicos de Angola, Guiné e Moçambique, alguns deles assassinados e presos nas mãos criminosas do governo português.