Na luz (grafia original)

Wikisource, a biblioteca livre

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Na luz
por Cruz e Sousa
Poema agrupado posteriormente e publicado em Ultimos Sonetos (1905).
Texto com ortografia atualizada disponível em Na luz (grafia atualizada).



De soluço em soluço a alma gravita,
De soluço em soluço a alma estreméce,
Anceia, sonha, se recorda, esquéce
E no centro da Luz dorme contricta.

       5Dorme na paz sacramental, bemdita,
Onde tudo mais puro resplandésce,
Onde a Immortalidade reflorésce
Em tudo, e tudo em canticos palpita.


Sereia celestial entre as sereias,
       10Ella só quer despedaçar cadeias,
De soluço em soluço, a alma nervosa.

Ella só quer despedaçar algêmas
E respirar nas Amplidões supremas,
Respirar, respirar na Luz radiosa.