Ne te deiciant tribulationes

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa
Ne te deiciant tribulationes
por Geraldo Lapenda
13 de junho de 1955


Talvez tu a comentes...

A dor que sentes
não sabes que tão logo há de passar?
Brevíssima é a dor
como aquela flor
que vês lá no jardim a perfurmar.
Na vida tudo passa como as flores.

Bem junto aos dissabores
existe algum prazer
Há sempre espinhos em qualquer talo de rosa
(e ela é formosa;
nem por isso o há de não ser).

Ainda que tu sintas em tua alma
alguma calma,
esta não dispensa
haja muito perto alguma ofensa,
a qual provoque
terrífico amargor.
Inda que proves
a dor de grande choque,
não renoves
teu desespero.
Recorda que entre espinhos há uma flor.