Nunca vos ousei a dizer

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nunca vos ousei a dizer
por Dom Dinis


Nunca vos ousei a dizer
o gram bem que vos sei querer,
senhor deste meu coraçom,
mais aque-m'em vossa prisom
de que vos praz de mi fazer.
 
Nunca vos dixi nulha rem
de quanto mal mi por vós vem,
senhor deste meu coraçom,
mais aque-m'em vossa prisom
de mi fazerdes mal ou bem.
 
Nunca vos ousei a contar
mal que mi fazedes levar,
senhor deste meu coraçom,
mais aque-m'em vossa prisom
de me guarir ou me matar.
 
E, senhor, coita e al nom
me forçou de vos ir falar.