O Conde Alberto

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Conde Alberto
coletado por Sílvio Romero
Publicado em Cantos populares do Brasil. (Sergipe)

Soluçava Dona Silvana
Por um corredor que tinha,
Que seu pai não a casava,
Nem esta conta fazia.

—Eu não vejo neste reino
Com quem case filha minha;
Só si fôr com Conde Alberto.
Este tem mulher e filhos.
"Com este mesmo é que eu quero,
Com este mesmo eu queria:
Mandai vós, ó pai, chama-lo
Para vossa mesa um dia.

—Corre, corre, cavaleiro
Dos mais ligeiros que tenho,
Vai dizer ao Conde Alberto
Que venha jantar comigo."

—"lnda ontem vim da corte
Que Dom Rei me fez chamar;
Não sei será pra bem,
Ou si será pra meu mal.
Pra matares a Condessa,
E casar com minha filha."

—"Como isto pode ser,
Como isto nunca seria?
Descasar um bem casado
Cousa que Deus não faria?

—Instantes te dou de hora
Que reze uma Ave-Maria,
Que me mandes a cabeça
Nesta formosa bacia.
—Contais, marido, tristezas,
Como quem conta alegria!"

—"Não sei que vá vos contar
Que já é em demasia ".
A mesa já estava posta,
Nem um, nem outro comia;
As lágrimas eram tantas,
Que pela mesa corria.