O Teles e o Tobias/III

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Teles e o Tobias por Machado de Assis
Capítulo III


A vila tinha um jornal, que servia aos dois chefes do único partido que havia antes. Denominava-se o Farol. Tinha um redator, amigo de ambos. Mas, com a dissensão passou a folha a ser de Tobias, que a fundara. Teles fundou logo outro jornal, denominado Atalaia.

Entretanto, o pobre redator do Farol, como o Tobias ficasse com a folha, foi despedido, por ser amigo de ambos os contendores.

Foi quem perdeu no joguinho.

Perdeu até certo ponto, porque dois meses depois, zangado com toda a história, fundou um jornal seu, ao qual deu por título O Azorrague.

De maneira que veio a vila a ganhar, ficando com três jornais, e mais a vida que lhe daria a luta da imprensa.

O Azorrague combatia as outras duas folhas.

O primeiro número da Atalaia começava assim:

Entrando no campo da publicidade, a nossa missão é defender os verdadeiros interesses da vila, profligar os abusos, louvar as autoridades honestas e cumpridoras do seu dever.

Está claro que neste número não entra o famoso juiz de paz que há tanto tempo pesa sobre esta infeliz população, criatura desprezível, etc., etc.

O mesmo número trazia esta notícia:

O sr. subdelegado Teles continua no gozo de sua importante saúde. O seu filho Benjamim já se acha melhor da febre intermitente de que foi recentemente atacado. Fazemos votos pelo seu restabelecimento.

O seguinte número do Farol respondeu por estes termos:

Apareceu finalmente e folha do sr. Chico Teles. É um amontoado de tolices e infâmias, e mostra bem a pessoa que se lembrou de fundar tão imundo jornal. Quanto ao que diz a respeito do respeitável sr. Tobias, toda a população desta vila protesta.

O noticiário do Farol dizia o seguinte:

Temos a dor de anunciar que o honrado sr. juiz de paz Manoel Tobias indo ontem e passeio caiu do cavalo e contundiu um ombro. Foi logo medicado pelo honrado sr. dr. B. Desde então até à hora em que escrevemos, mais de cinqüenta pessoas gradas têm visitado o ilustre juiz de paz.

A folha do Chico Teles não se pôde ter. Depois de responder ao artigo de fundo, em termos acres, disse na gazetilha:

Queríamos saber quais foram as pessoas gradas que têm visitado o sr. Tobias, depois que caiu do cavalo. A não serem o taberneiro Arruda, o picador Matias, e outros que tais, gente conhecida por toda a vila, não podemos saber quem seja.

Acudiu o Farol:

... Em todo o caso o sr. Tobias não foi visitado pelo sr. Chico Teles, cujo caráter desprezível arreda a toda a gente de bem.

A isto respondeu a Atalaia:

O sr. Teles não visita bêbados...

Estavam as coisas neste pé quando apareceu o Azorrague, redigido pelo sr. Anselmo, ex-redator do Farol. Eis a introdução:

No meio da comédia a que assiste a vila, desde que apareceu o Atalaia, e que se travou o tiroteio entre ela e o Farol, aparece hoje o Azorrague, disposto e dizer que tanto um como outro jornal são dois truões de força. Quem quiser rir dos srs. Teles e Tobias venham assinar esta folha, mas declaramos desde já que não somos folha de partido.

Ou fosse a franqueza da linguagem, ou simpatia que merecesse o sr. Anselmo, o certo é que o Azorrague adquiriu logo popularidade.