O meu amigo, forçado d'amor

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O meu amigo, forçado d'amor
por Joan Airas


O meu amigo, forçado d'amor,
pois agora comigo quer viver
ũa sazon, se o poder fazer,
non dormha ja mentre comigo for
ca daquel tempo que migo guarir
atanto perderá quanto dormir

E que ben quer seu tempo passar
u é con sa senhor, non dorme ren;
e meu amigo, pois pera mi ven,
non dormha ja mentre migo morar
ca daquel tempo que migo guarir
atanto perderá quanto dormir

E, se lh'aprouguer de dormir alá
u el é, prazer mh á, per bõa fe,
pero dormir tempo perdudo é,
mais per meu grad'aqui non dormirá
ca daquel tempo que migo guarir
atanto perderá quanto dormir

E, depois que s'el de min partir,
tanto dormha quanto quiser dormir