Obras poeticas de Ignacio José de Alvarenga Peixoto (1865)/Ao mesmo marquez, servindo de prologo ao drama Enéas no Lacio

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
(Ao mesmo marquez, servindo de prologo ao drama Enéas no Lacio)
por Alvarenga Peixoto
Poema agrupado posteriormente e publicado em Obras poeticas de Ignacio José de Alvarenga Peixoto.
AO MESMO MARQUEZ
SERVINDO DE PROLOGO AO DRAMA ENEAS NO LACIO


Se armada a Macedonia ao Indo assoma,
E Augusto a sorte entrega ao immenso lago;
Se o grande Pedro errando incerto e vago
Barbaros duros civilisa e doma;

Grecia de Babylonia exemplos toma,
Aprende Augusto no inimigo estrago,
Ensina a Pedro quem fundou Carthago
E as leis de Athenas traz ao Lacio e Roma.

Tudo mostra o theatro, tudo encerra;
N’elle a cega razão aviva os lumes
Nas artes, nas sciencias e na guerra.

E a vós, alto senhor, que o rei e os numes
Derão por fundador á nossa terra,
Compete a nova escola de costumes.