Obras poeticas de Ignacio José de Alvarenga Peixoto (1865)/Ao rei D. Diniz

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
(Ao rei D. Diniz, fundador da universidade de Coim­bra)
por Alvarenga Peixoto
Poema agrupado posteriormente e publicado em Obras poeticas de Ignacio José de Alvarenga Peixoto.
AO REI D. DINIZ
FUNDADOR DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA


O pai da patria, imitador de Augusto,
Liberal Alexandre..... ia adiente,
Quando uma imagem se me pôz presente,
A cuja vista me gelei de susto.

Mostrava no semblante pio e justo
Raios brilhantes do empirio luzente,
E em mim cravando a vista descontente
Assim fallára com bastante custo:

«Nem de Alexandre, nem de Augusto quero
Os nomes; sou Diniz.» Me disse apenas
Com gesto melancolico e severo.

Levou-me ás praias do Mondego amenas,
E, depondo o semblante grave e austero,
Rio-se e mostrou-me a portugueza Athenas.