Obras poeticas de Ignacio José de Alvarenga Peixoto (1865)/Improvisado n’um outeiro

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
(Improvisado n’um outeiro, ácerca do triumpho de Octavio sobre Antonio)
por Alvarenga Peixoto
Poema agrupado posteriormente e publicado em Obras poeticas de Ignacio José de Alvarenga Peixoto.
IMPROVISADO N’UM OUTEIRO
ACERCA DO TRIUMPHO DE OCTAVIO SOBRE ANTONIO


Nas azas do valor em Acio vinha
Por Antonio a victoria declarada,
Mas a sombra de Tullio não vingada
Postos os deoses contra Antonio tinha.

Fez que fugisse a barbara rainha
De falsas esperanças enganada,
E o criminoso heróe voltando a espada
No coração zeloso a embainha.

O fatal estandarte a guerra enrole,
Cesse entre esposas e entre mais o susto,
Descanse um pouco de Quirino a prole;

Que Jove eterno, piedoso e justo,
Antes que Roma a Roma se desole,
Noméa vice-deos ao grande Augusto (7).

Notas[editar]

(7) A respeito d’este soneto veja-se a nota da Introducção d’esta obra.