Ora ja non poss'eu creer

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ora ja non poss'eu creer
por Pêro da Ponte


Ora ja non poss'eu creer
que Deus ao mundo mal non quer,
e querrá, mentre lhi fezer
qual escarnho lhi sol fazer,
e qual escarnho lh'ora fez:
leixou-lhi tant'home sen prez
e foi-lhi don Lopo tolher.

E oimais ben pode dizer
tod'home, que esto souber,
que o mundo non ha mester,
pois que o quer Deus confonder;
ca par Deus mal o confondeu
quando lhi don Lopo tolheu
que o soía mantẽer.

E oimais, quen o manterrá
por dar i tanto rico don,
caval'e armas a baldón?
Ou des oimais, quen o dará,
pois don Lopo Díaz mort'é,
o melhor don Lopo, a la fe,
que foi, nen ja máis non será?

E pero, pois assí é ja,
façamos atal oraçón
que Deus, que pres mort'e paixón,
o salve, que én poder ha;
e Deus, que o pode salvar,
esse o lev'a bon logar
pelo gran poder que end'ha!

Amén! Amén! Aquest'amén
ja máis non si m'obridará!