Os fenícios

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Os fenícios
por Olavo Bilac


Ávida gente, ousada e moça! Ávida gente!

Desse estéril torno, desse areal maninho

Entre o Líbano e o mar da Síria, - que caminho

Busca, turvo de febre, o vosso olhar ardente?

Tiro, do vivo azul do pélago marinho;

Branca, nadando em luz, surge resplandecente...

Na água, aberta em clarões, chocam-se de repente

Os remos. Rangem no ar os velames de linho.

Hiram, com o cetro negro em que ardem pedrarias,

Conta as barcas de cedro, atupidas de fardos

De ouro, púrpura, ônix, sedas e especiarias.

Sus! Ao largo! Melcarte abençoe a partida

Dos que vão de Sídon, de Gebel e de Antardus

Dilatar o comércio e propagar a Vida!

(As Viagens , II )