Página:A Carne.djvu/54

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


No espelho calmo do lago reflectia-se a vegetação luxuriante que o emmoldurava.

Perovas gigantescas de fronde escura e casca rugosa ; jequitibás seculares, esparramando no azul do céo a expansão verde de suas copadas alegres ; figueiras brancas de raizes chatas, protrahidas a extender ao longe, horizontalmente, os galhos desconformes, como grandes membros humanos aleijados ; canchins de folhas espinhentas, a distillar pelas fibras do cortex vermelho escuro um leite caustico, venenoso ; guaratãs esbeltos, lisos no tronco, muito elevados ; tayuvas claras ; paus de alho verde-negros, viçosissimos, fetidos ; guaiapás perigosos abrolhados em aculeos lancinantes e peçonhentos ; mil lianas, mil trepadeiras, mil orkhideas diversas, de flores roxas, amarellas, azues, escarla-