Página:A Patria Brazileira.djvu/290

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
— 272 —


Numerosas são, entretanto, as fabricas existentes no paiz para diíferentes misteres: tecidos de varias espécies, moveis, calçados, chapéos, velas, phosplioros, sabão, perfumarias, charutos, vinhos, licores, etc.

Dentre ellas apontaremos o admirável Em2Jorio Industrial do Norte, situado no bairro da Boa Viagem, na Capital do Estado da Bahia, a mais importante fabrica de tecidos no Brazil e certamente na America do Sul, senão soQiente por sua vastidão, aperfeiçoamento de machinismos e producção, ao menos pelo alcance social de seu importantíssimo plano industrial.

O Emjjorio Industrial do Norte produz 250.000 metros de tecidos por semana, hulgarianas, riscados, algodàosinhos, ep/izrs, etc, proporcionando trabalho a i.400 operários, com um consumo diário de vinte e quatro toneladas de carvão, distrii.Hiidas por suas treze possantes caldeiras.

Aqui vos damos uma gravura do mais importante salão de trabalho.

Dentro da grande fabrica e fazendo parte de seu funccionamento, ostenta-se bella a Villa Operaria, a respeito da qual substituiremos aqui nossa palavra pela exacta e insinuante descripção de competente viajante extrangeiro, illustrando-a, porém, com algumas gravuras adequadas:

«... Lembranças de mocidade, quando empregado em enorme estabelecimento industrial, abria-se o meu espirito ás primeiras cogitações da moderna vida operaria — tão menos poética que a dos antigos ai*tistas que trabalhavam patriarcbalmente em lojas pequeninas, fraternizando com patrões; — lembrança de antigas leituras de folhetos e livros de propaganda socialista e anarchista; evocação symbolica do Phalansterio de Godin e das idéas de Fourier, que Emilio Zola reeditara ha pouco em Travail... tudo isso dançava-me macabramente no cérebro, ao penetrar na immensa colmeia onde os proprietários do Empório Industrial do

N"orte — com espirito de previdente e intelligente comprehensão dos

phenomenos sociaes e dos problemas modernos — imaginaram recolher,