Página:A Patria Brazileira.djvu/375

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
— 355 —


Amazonas, depois de haver mettido a pique dois navios paraguayos, um dos quaes se vê, submergindo-se, no primeiro plano á direita, cia á ré, para ir soccorrer a Parnahijha, tendo no lais da verga o signal — «Sustentar o fogo, que a victoria é certa».

Não é só, porém, nesta obra d′arte, e no encouraçado Riachuelo que está hoje materialisada a lembrança do inolvidável feito: existe ainda um objecto daquelle tempo,

— genuino representante das glorias de 11 de Junho — o mastro grande da legendaria Amazonas.

Ao ser desmanchada a fragata, a Escola Naval, com respeitoso carinho, recolheu-o e armou-o na ilha das Enxadas, situada na bahia de Guanabara, sendo alli em cada anniversario da batalha erguidos os dois signaes que o invicto Barroso rizera á esquadra, no mais acceso da lucta:

— O Brazil espera que cada um cumpra seu dever ~ e — Sustentar o fogo, que a victoria é certa.

Conclusão

Ahi fica, pois, meus caros concidadãos, descri pta, como vos promettemos, ainda que em ligeiros traços, nossa querida Pátria.

Gomo vistes, nada falta ao Brazil para occupar no convívio do mundo civilisado o logar proeminente que lhe compete pela vantajosa posição geographica, variadíssimas e inexgottaveis riquezas naturaes e pelos talentos e aptidões de seus filhos.

Si é certo que, não obstante nossa juvenilidade como nação, já temos, relativamente, avançado muito; não é menos verdade que estamos ainda distanciados do grau de adeanta-