Página:A morgadinha dos canaviais.djvu/361

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


saudade. Não tenteis a louca empresa de anniquilar o sentimento, espiritos áridos que infundadamente o temeis, como coisa desconhecida á vossa alma sêcca e estéril. Quem devéras confia nos destiños da humanidade não tem mêdo das lágrimas. Pode-se triumphar com ellas nos olhos.

Passado algum tempo, e quando já as sombras da noite se condensavam nos valles e subiam lentamente as encostas dos outeiros, o velho disse para Augusto:

—­Agora que não tenho casa, dá-me por alguns dias o abrigo da tua.

—­Por alguns dias?—­repetiu Augusto, admirado.—­Pois quer deixar-me depois!

—­Quero. Vou com ellas.

E apontou, ao dizer isto, para as arvores derrubadas.

Atravessaram a aldeia á hora a que vibravam nos ares os sons melancolicos das Avé-Marias.

Em silencio chegaram a casa de Augusto, agora commum para os dois.

—­Mettes em tua casa um triste hospede, pobre rapaz!—­disse o herbanario, ao transpor o limiar.—­Má companhia te fará a minha velhice.

—­Boa companhia me faz sempre a sua amizade, tío Vicente. Nem a sua presença podia desalentar quem na mocidade é maïs fraco e desalentado do que ninguem o pode ser na velhice.

—­Custou-me muito este golpe de hoje! Não contava com elle! Desde hontem envelheci muitos annos. Podes crêl-o.

Quando Augusto ia a replicar, interrompeu-o uma voz que dizia de fóra da porta:

—­Dão licença?

E no limiar appareceu a figura do mestre Pertunhas, animada de cordiaes sorrisos.

O herbanario e Augusto não reprimiram um gesto de impaciencia.

O homem entrou.