Página:Archivo nobiliarchico brasileiro.djvu/142

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Foi Conselheiro de Estado em 1874, do Conselho de S. Magestade e Grande do Imperio. Era Fidalgo Cavalleiro da Casa Imperial, Commendador da I. Ordem de Christo e Official da I. Ordem da Rosa.

BRAZÃO DE ARMAS: De azul, cinco estrellas de prata de cinco raios, representando a constellação do Cruzeiro do Sul.

CORÔA: A de Conde.

CREAÇÃO DO TITULO: Visconde com grandeza por decreto de 13 de Junho de 1888.


CUNHA. (Visconde com grandeza e Marquez da) Dom Francisco da

Costa de Souza Macedo.

Nasceu em Lisboa em 9 de Maio de 1788.

Falleceu nessa cidade em 16 de Agosto de 1852.

Filho de D. Maria José de Souza Macedo, 2º Viscondessa de Mesquitella e 4ª Baroneza de Mullingar, no Pareato da Inglaterra e de seu marido, D. José Francisco da Costa de Souza e Albuquerque, Armador-Mór, e do Conselho de S. Magestade a Rainha D. Maria I. Era irmão do Conde de Mesquitella, em Portugal.

Casou com D. Maria Leonor Carneiro Vianna, filha de Paulo Fernandes Vianna e de sua mulher D. Luiza Rosa Carneiro da Costa e irmã do Conde de S. Simão; era Dama Honoraria de S. Magestade a Imperatriz D. Maria Leopoldina e nasceu em 26 de Junho de 1808, fallecendo no Rio de Janeiro em 30 de Maio de 1826, sendo entrão Viscondessa da Cunha.

Foi Official General do Exercito Brasileiro, Veador, Gentil-Homem da Imperial Camara, Mordomo-Mór de S. Magestade a Imperatriz D. Maria Leopoldina.

Era condecorado com diversas medalhas militares, Commendador das I. I. Ordens do Cruzeiro e de Christo.

Falleceu em Lisbôa, completamente retirado da sociedade e entregue á vida religiosa.

CREAÇÃO DOS TITULOS: Visconde com grandeza por decreto de 12 de Outubro de 1824. Marquez por decreto de 12 de Outubro de 1826.


CUNHA BUENO. (Barão de Itaquary, da Cunha Bueno e Visconde da) Francisco da Cunha Bueno.