Página:Broqueis.pdf/123

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


INCENSOS


D'entre o chorar dos trémulos violinos,
Por entre os sons dos orgãos soluçantes
Sóbem nas cathedraes os neblinantes
Incensos vagos, que recórdam hymnos....

Rôlos d'incensos alvadios, finos
E transparentes, fúlgidos, radiantes,
Que elévam-se aos espaços, ondulantes,
Em Chiméras e Sonhos diamantinos.