Página:Cinematographo.djvu/61

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

- Era uma vez uma princesa, que tinha uma estrela de briIhantes na testa.

A roda caíra de novo num silêncio atento. A escuridão parecia aumentar, e, involuntariamente, ou e o meu amigo sentimos na alma a emoção inenarrável que a bondade do que julgamos mau sempre nos causa...